FAMPOP 2017

FAMPOP 2017
Espaço cedido para Cultura de Avaré

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

JORNAL DA CIDADE - Nota Institucional

RESERVATÓRIOS RECEBEM MAIS 400 MIL PEIXES
Duke Energy realiza solturas como parte de seu programa de repovoamento da Bacia do Paranapanema



Os reservatórios de quatro usinas hidrelétricas sob concessão da Duke Energy no Rio Paranapanema receberão 300 mil curimbatás e 100 mil pacus jovens. As solturas, em lotes de 100 mil cada, serão realizadas pela companhia nos lagos das usinas: Rosana, no dia 14; Jurumirim, no dia 17; Capivara, no dia 18; e Canoas II, no dia 19. A escolha dos pontos de soltura considera a importância da espécie no ambiente, sua aptidão em relação ao aproveitamento dos recursos alimentares disponíveis e abrigo contra predadores.

Em janeiro, a Duke Energy já havia colocado 300 mil curimbatás em seus reservatórios do Paranapanema, e até o final do ano serão 1,5 milhão de peixes jovens de espécies nativas soltos – uma meta anual que a empresa cumpre desde 2001, ano em que iniciou seu programa de repovoamento da Bacia do Paranapanema com o objetivo de contribuir para a recuperação do estoque pesqueiro na região.

Antes das ações, a Duke Energy comunica as prefeituras municipais, por meio das Secretarias de Meio Ambiente. “Solicitamos que convidem autoridades, representantes de ONGs, lideranças locais e fazemos parceria com as secretarias de Educação para proporcionar a alunos de escolas municipais a palestra ‘Reprodução de Peixes’, sobre reprodução em cativeiro e os benefícios do repovoamento para o meio ambiente e as comunidades”, conta o analista de Meio Ambiente da companhia, Luis Augusto Perino, que ministra as palestras e depois acompanha os estudantes ao local da soltura.




SELEÇÃO
Sobre as duas espécies utilizadas – curimbatá e pacu – o biólogo da Duke Energy e coordenador do programa, Norberto Vianna, diz que a seleção das espécies trabalhadas pelo programa é orientada pelo estudo das populações de peixes nos reservatórios. “São espécies que têm melhores condições de aproveitar os recursos alimentares e são importantes para a economia e cultura da pesca local, tanto amadora como profissional”, detalha. Além de curimbatá e pacu, a Duke Energy vem utilizando no repovoamento do Paranapanema e seus afluentes: piracanjubas, piaparas, dourados e piava-três-pintas.


Na Estação de Hidrobiologia e Aquicultura, localizada na usina Salto Grande, são realizadas as pesquisas, a reprodução e o desenvolvimento dos peixes para o repovoamento. O complexo, que ocupa 22 mil metros quadrados, inclui laboratórios para reprodução de peixes, tanques de larvicultura e 53 tanques de alevinagem e estocagem de matrizes.