segunda-feira, 20 de julho de 2015

INSTITUCIONAL - Guabi (Especial ABQM Avaré)

GUABI REGISTROU PARTICIPAÇÃO 
NO CAMPEONATO DA ABQM
A Guabi Nutrição e Saúde esteve presente no 38º Campeonato Nacional Conformação e Trabalho da ABQM e destacou a alimentação ideal para cavalos.


                ALIMENTAÇÃO IDEAL 
PARA CAVALOS ATLETAS

Uma alimentação adequada garante o bom desempenho nas pistas

Hoje em dia, todos os cavaleiros, amazonas e profissionais do mundo equestre buscam a melhor performance de seus animais. Para isto, não basta ter apenas um bom cavalo, é necessário realizar uma boa criação, uma doma racional, um treinamento adequado e sem dúvida nenhuma, uma alimentação específica à modalidade praticada. Não adianta ter um equino de excelente linhagem e aptidão, com o melhor treinamento e cavaleiro, se o animal não tiver o combustível certo para desempenhar o seu potencial em pista.
A alimentação do cavalo atleta começa desde a fase de gestação do animal, em que a égua necessita de cuidados nutricionais especiais durante toda a prenhez até o nascimento do potro. A partir deste momento, o potro deve receber uma alimentação específica para crescimento, com maior nível de proteína, que garantirá seu desenvolvimento completo, permitindo que esteja fisiologicamente preparado para um programa de treinamento. 
Ao alcançar a idade de doma, inicia-se o fornecimento de ração para trabalho leve, contendo uma quantidade moderada de energia que aumentará gradualmente, conforme a intensidade do trabalho. 
A alimentação deve ser balanceada de acordo com a modalidade esportiva praticada, pois o que define o substrato energético utilizada pelo animal (o tipo de energia) é a intensidade e a duração do exercício.
Os animais em trabalho são divididos basicamente em duas categorias: cavalos de explosão - que desempenham uma atividade de curta duração e altíssima intensidade (tambor, laço, corrida) e os de resistência – que desempenham exercícios de longa duração e intensidade moderada (Enduro).
A base da alimentação desses animais é a mesma, porém o tipo de substrato energético utilizado por cada um deles e a proporção de volumoso e concentrado são diferentes. Isso acontece porque o metabolismo energético degrada vários tipos de substratos de acordo com o tempo. Primeiramente o cavalo utiliza como fonte de energia a Creatina Fosfato, que está pronta para ser utilizada (primeiros 5 segundos de exercício), depois o organismo transforma o carboidrato (glicose ou glicogênio) em energia (até aproximadamente 10 minutos de exercício), em seguida começa a utilização de gordura (processo mais lento) e depois o suprimento energético passa a ser por conta da energia proveniente da fibra. Isso basicamente define o tipo de ração que cada animal deve receber e a proporção de volumoso e concentrado.
Para o cavalo de explosão, que apresenta como características - exercícios de alta intensidade e curto período de tempo é fundamental um suprimento rápido de energia, por isso, o principal substrato energético utilizado é o carboidrato, proveniente principalmente do milho e da aveia. O óleo também é uma fonte energética importante, pois é bastante utilizado durante o período de treinamento (condicionamento) e para garantir as reservas de glicogênio muscular. A fibra é fundamental na dieta, no entanto, não é utilizada como fonte de energia no cavalo de explosão. Desta forma, a dieta para cavalos de explosão varia de uma proporção de 50% de concentrado e 50% de volumoso, podendo chegar até 60% e 40% respectivamente, já que a energia utilizada vem principalmente do concentrado. A ração ideal indicada para esta modalidade deve ser bastante energética (em torno de 3.650 Kcal/Kg de energia digestível) e conter maior fonte de energia por carboidrato, do que por óleo e conter em torno de 12% de proteína bruta, pois é o que será utilizado no momento da competição. As quantidades de ração variam em torno de 4 a 6 Kg por dia, divididas em 3 tratos diários, com volumoso à vontade.
O cavalo de resistência deve receber uma proporção de 30% de concentrado e 70% de volumoso, pois os substratos energéticos mais importantes para esta categoria são provenientes da fibra e do óleo, desta forma, precisam receber rações que contenham maior quantidade de óleo do que carboidrato em sua composição.
Devemos lembrar sempre que o eqüino é um animal herbívoro, e por isso, o volumoso é essencial em sua dieta, independentemente do tipo de modalidade esportiva que ele pratique. O volumoso pode ser fornecido na forma de feno (Coast Cross, Tifton, Jiggs ou alfafa) ou capim verde (no pasto ou fornecido cortado na cocheira), o importante é que seja de boa qualidade e digestibilidade (maior quantidade de folhas e pouco talo) à vontade.
O fornecimento de sal mineralizado para eqüinos também é fundamental para o cavalo atleta, já que a perda de suor e eletrólitos é muito grande durante o exercício, por isso é aconselhável forçar o fornecimento do sal mineral juntamente com a ração, para garantir que o animal esteja ingerindo o mínimo necessário para o pleno funcionamento do organismo. Desta forma, podemos concluir que uma alimentação balanceada e adequada para o cavalo atleta é fundamental para garantir o bom desempenho nas pistas!
Fonte: Claudia Ceola – Médica Veterinária (CRMVSP-15.582) e Assistente Técnica de equinos da Guabi Nutrição Animal
Guabi estreita relacionamento
entre homem e cavalo
São Paulo – 17 de julho de 2015 - Antigamente, a relação entre homem e cavalo era bem diferente se comparada com os dias de hoje. Praticamente antes, este tipo de animal era visto e tratado como um veículo de transporte, quase que um burro de carga! Hoje, graças à evolução do mercado, o cavalo é utilizado sim, nos meios agrícolas, mas de forma moderada. Os estudos permitiram que até equoterapia fosse desenvolvida.
Muitos criadores tratam seus animais como membros de sua família. Tem veterinário próprio, se alimentam de rações premium e dispõe de melhores treinadores. O cenário mudou e mudou para melhor.
Admirado pela sua beleza e excelência, o cavalo é um animal sensitivo e que identifica o temperamento de seu cavaleiro por meio de odores liberados pelo próprio ser humano. Qualquer alteração de temperamento do proprietário, do criador ou do treinador, o cavalo perceberá. Por esse motivo, a relação entre homem e o cavalo deve ser baseada em companheirismo, cumplicidade e amizade. Por meio de toques, carinhos e leves palmadas ao longo do dorso do animal trazem mais segurança e confiança ao animal.
Como qualquer ser, os cavalos necessitam de carinho e de recompensa depois de um treinamento ou de um dia de trabalho. Para valorizar estes momentos especiais entre o cavalo e o ser humano, a Guabi desenvolveu um suplemento alimentar para equinos – Horsecrek (único suplemento alimentar do Brasil).
Apresentado na forma de tabletes com sabor de caramelo, ele tem em sua composição o Triptofano – umaminoácido essencial, utilizado pelo cérebro para produzir a serotonina, que proporciona bem estar ao cavalo. É ideal para ser utilizado como recompensa nutritiva após passeios, competições e treinamentos. Pode ser oferecido a qualquer hora e até 10 unidades/dia.