quarta-feira, 10 de agosto de 2016

EMPRESA É NOTÓRIA NA GESTÃO DE EMISSÕES

Pelo segundo ano consecutivo, empresa recebe o Selo Ouro do Programa Brasileiro GHG Protocol.

A Duke Energy Brasil tem a concessão de oito usinas hidrelétricas instaladas ao longo do rio Paranapanema e duas pequenas centrais hidrelétricas no rio Sapucaí-Mirim. Foto da internet site  Duke Energy

A qualidade das informações do inventário de emissões de gases de efeito estufa e a eficiência na gestão das operações em relação ao tema “Mudanças Climáticas” proporcionaram à Duke Energy mais um Selo Ouro do Programa Brasileiro GHG Protocol (Greenhouse Gas Protocol). A iniciativa classifica empresas que mapeiam, auditam e publicam suas emissões. Após receber um Selo Prata, este é o segundo ano consecutivo que a companhia é destacada com o Selo Ouro pelo Programa coordenado pelo Centro de Estudos em Sustentabilidade, da Escola de Administração de Empresas da Fundação Getúlio Vargas. 
“A Duke Energy realiza seu inventário de emissão de gases de efeito estufa desde 2008, e este é o terceiro ano que publica suas emissões no programa”, expõe o gerente de Meio Ambiente da empresa, Miguel Conrado Filho. De acordo com ele, a companhia se compromete com práticas sustentáveis visando à redução dos GEE, que concorrem para o aquecimento global. 
Geradora de energia hidrelétrica, 100% renovável, a Duke Energy não se enquadra como uma empresa de alta intensidade de emissões de gases de efeito estufa. “As emissões estão nos processos gerenciais das unidades, que estamos sempre avaliando,e não na própria geração”, explica Conrado Filho. “A conquista do Selo Ouro atesta a consistência das informações do nosso inventário e a aderência aos critérios estabelecidos pela ISO 14065, de 2007, e pelo Programa Brasileiro GHG Protocol”, afirma. 
Periodicamente, a Duke Energy monitora os aspectos regulatórios e avalia a emissão de gases de efeito estufa em sua área de atuação. A companhia também disponibiliza o seu Plano de Mudanças Climáticas para consulta da comunidade. No material, a empresa apresenta ao público interno e externo suas práticas sustentáveis, condutas e metas para reduzir a emissão de gases de efeito estufa. 

Sobre o Programa 

Lançado em 2008, o Programa Brasileiro GHG Protocol destaca a gestão voluntária de gases de efeito estufa, promovendo a capacitação técnica e institucional para as instituições participantes contabilizarem GEE e preparem seus inventários para publicação. O Programa objetiva também criar um fórum para a troca de informações e para debates envolvendo o público interessado. 
A Duke Energy Brasil tem a concessão de oito usinas hidrelétricas instaladas ao longo do rio Paranapanema e duas pequenas centrais hidrelétricas no rio Sapucaí-Mirim. Juntas as duas operações são responsáveis por cerca de 2,3Gigawatts de capacidade total instalada e geram uma média de 12 milhões de MW/h por ano. Isso equivale a energia suficiente para abastecer quase 7 milhões de famílias ou 27 milhões de habitantes. Com cerca de 300 empregados no país, a Duke Energy Brasil representa o maior investimento internacional da norte-americana Duke Energy Corp.,a maior companhia de serviços públicos dos Estados Unidos.