sexta-feira, 5 de agosto de 2016

Pokémons escondem-se na Biblioteca Municipal


Local se tornou um “pokestop”no 
jogo de realidade aumentada

 Parece que nem mesmo a Represa Jurumirim ou o recinto da Emapa são suficientes, no caso específico da Estância Turística de Avaré, para algumas pessoas deixarem seus celulares de lado por alguns minutos: a Biblioteca Municipal acaba por ser um destino popular para ir jogar PokémonGo, como foi descoberto esta semana pelos que disputam esse jogo virtual.
A febre PokémonGo afeta todos, independentemente se você está jogando ou não. Este jogo de realidade aumentada tornou-se uma estrela mundial em apenas algumas semanas. A tendência esperada (dado o sistema GPS no qual funciona o aplicativo) também atingiu a praça do CAIC, onde, dizem os rumores entre os círculos de jogadores, pode-se conseguir “Arceus”, o “deus Pokémon”.
De acordo com os jogadores, qualquer hora do dia é perfeita para caça de Pokémons, mesmo que isso signifique ter de competir com centenas de estudantes, jovens e maduros, por um pequeno espaço para caminhar. Aparentemente, na praça do CAIC existem vários lugares para encontrar essas “criaturas”, além da Biblioteca, como também a cobertura de jogos para idosos.
“Foi uma agradável surpresa ter a Biblioteca como pokestop. Estamos recebendo mais visitantes e assim os jogadores, na caça por pokémons entre  nossas estantes, podem ter despertado o gosto por bons livros”, avaliou a bibliotecária Suzely Dainezi.
Outros “pokestop”

Na tarde desta quinta-feira, 04, nas praças centrais da cidade era grande a movimentação de jogadores, isto porque na área havia outros pontos de localização virtual para capturar pokémons, dentre os quais o marco geodésico, a estátua O Desbravador, a efígie de Juca Novaes e o Relógio de Sol.