FAMPOP 2017

FAMPOP 2017
Espaço cedido para Cultura de Avaré

quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Detran orienta que pessoas com deficiência podem tirar carteira de habilitação

Resultado de imagem para habilitação deficiente
Cidadão deve passar por exame médico com profissional especializado, que avaliará sob quais condições o cidadão poderá dirigir. Para o supercampeão paralímpico Daniel Dias, candidato deve ter autoconfiança para fazer o processo de habilitação com tranquilidade
🔻LEIA MAIS

O Departamento Estadual de Trânsito de São Paulo (Detran.SP)  lembra que ter algum tipo de deficiência física não é um impedimento para os cidadãos que desejam tirar a Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Para obter o documento, pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida passam pelo mesmo processo de habilitação que os demais candidatos, com exceção do exame médico, que deve ser feito com um profissional especializado e credenciado junto ao Departamento de Trânsito.
O médico avaliará se o tipo de deficiência permite a condução de um veículo e em quais condições. 
O profissional poderá impor uma restrição para a condução, como a obrigatoriedade de câmbio automático, o uso de motocicleta com carro lateral ou triciclo, por exemplo. A lista com as restrições e a respectiva letra indicativa na habilitação pode ser consultada no portal www.detran.sp.gov.br ou CLIQUE AQUI
Se aprovado no exame médico, o candidato deverá procurar uma autoescola na cidade onde reside que tenha veículo que atenda à restrição médica, se for o caso. A legislação federal de trânsito não obriga que os Centros de Formação de Condutores (CFCs) tenham atendimento para pessoas com deficiência, com veículos adaptados, por exemplo. No entanto, caso a autoescola da cidade onde o condutor resida não ofereça veículos adaptados para todas as restrições impostas, o Detran.SP autoriza o candidato a realizar as aulas práticas em centro de formação de outro município.
O exame prático é o mesmo aplicado aos candidatos sem deficiência física, com o mesmo percurso e critérios de avaliação, conforme determina a legislação federal. A diferença é que um médico acompanha a aplicação da prova para avaliar se o veículo utilizado no teste atende às necessidades do futuro condutor.
Mudança para CNH especial – Se um cidadão já habilitado passar por alguma situação que possa alterar sua capacidade para conduzir veículos, deverá se submeter a um novo exame médico para que um profissional de saúde avalie se ele poderá continuar dirigindo e sob quais condições. Se considerar necessário, o médico pode solicitar também avaliação psicológica.
Nesse caso, é preciso seguir o passo a passo para "Renovação da CNH - pessoa com deficiência" listado no portal do Detran.SP no link http://scup.it/dyvw. O procedimento deverá ser feito mesmo se a Carteira Nacional de Habilitação (CNH) estiver dentro do prazo de validade.
Dependendo da limitação do condutor, ele poderá fazer o teste prático em um veículo próprio ou de parentes que atenda às restrições médicas que forem impostas. Se o cidadão ou algum parente não dispuser do veículo, deverá contratar os serviços de uma autoescola que disponha do veículo adaptado para a prova.
“Atualmente, há quase 500 mil pessoas com deficiência habilitadas em todo o Estado. Nosso intuito é atender a todos com excelência para que esse número cresça cada vez mais”, afirma Neiva Aparecida Doretto, diretora-vice-presidente do Detran.SP.
Surdos – No caso dos surdos, não há necessidade de veículo adaptado, mas o médico pode exigir o uso de aparelho auditivo conforme o nível de deficiência auditiva.
Para a prova teórica, o Detran.SP oferece aos candidatos com surdez o auxílio online de intérpretes da Língua Brasileira de Sinais (Libras). A função do profissional, que atua por meio de um software de webconferência, não é ajudar o candidato a responder as questões, mas sim mediar a compreensão das perguntas propostas.
Desde 27 de outubro do ano passado, quando esse modelo de prova foi implantado no Estado de São Paulo, 405 candidatos surdos em 62 cidades fizeram o exame teórico com mediação online de intérprete da Libras. Após a adoção desse formato de teste, o índice médio passou de 61% para 73%. O modelo de prova online utiliza o mesmo acervo de questões atualizado.
No portal www.detran.sp.gov.br há um tutorial em Libras para os surdos que pretendem tirar a CNH. Acesso direto CLIQUE AQUI
Além disso, o Detran.SP promove curso de capacitação em Libras para servidores e instrutores das autoescolas. Quase 700 colaboradores já foram capacitados no Estado.
Essas medidas fazem parte do Programa de Atenção à Acessibilidade, do qual o Detran.SP participa em parceria com a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência para promoção de ações conjuntas que facilitem o acesso da pessoa com deficiência aos serviços de trânsito. 
“As ações em prol das pessoas com deficiência consolidam o compromisso do Detran.SP na criação de uma política de atenção à acessibilidade”, pontua Rosana Soares Néspoli, gerente da Escola Pública de Trânsito (EPT).

“Segurança no trânsito é prioridade”, 
diz Daniel Dias, megacampeão paralímpico

Para o nadador Daniel Dias, maior medalhista masculino dos Jogos Paralímpicos com 24 medalhas, a segurança deve ser prioridade no trânsito. Habilitado há oito anos na categoria B (carro), ele leva realmente a sério o ato de dirigir e nunca se envolveu em um acidente. Confira abaixo parte da entrevista que o atleta concedeu ao Detran.SP:
Detran.SP – Como foi seu processo de habilitação e o que você recomenda para pessoas que têm deficiência e querem tirar a CNH?
Daniel – Foi tranquilo, mas creio que hoje está ainda melhor e mais fácil pois há cada vez mais médicos e autoescolas preparados para atender quem tem deficiência. A minha dica é que a pessoa acredite nela mesma e vá com calma e confiança.
Detran.SP – O que é preciso para ser campeão no trânsito?
Daniel – Segurança, sem dúvida. A mudança tem que partir de cada um de nós. Se cada um fizer a sua parte, teremos um trânsito melhor, com menos acidentes e mortes. Para isso, é preciso que todo mundo dirija com prudência e respeite as leis de trânsito. No caso das pessoas com deficiência, é importante que os motoristas também sigam as restrições impostas pelo médico e façam as adaptações necessárias no carro [o atleta tem em sua CNH as restrições C, D e F, que se referem, respectivamente, à obrigatoriedade do uso de acelerador do lado esquerdo, de câmbio automático e direção hidráulica].
Detran.SP – É verdade que você é supercuidadoso ao volante?
Daniel – Sim, sou mesmo (risos). Não saio de forma alguma sem cinto de segurança nem sem as cadeirinhas dos meus dois filhos. Quando temos filhos, o cuidado tem de ser ainda maior. A vida é um bem precioso e temos de preservá-la.