FAMPOP 2017

FAMPOP 2017
Espaço cedido para Cultura de Avaré

terça-feira, 25 de julho de 2017

Presos em Paranapanema suspeitos de armazenar e produzir conteúdo com pornografia infantil

Dois homens foram presos em Paranapanema (SP) durante a Operação Glasnost, deflagrada pela Polícia Federal nesta terça-feira (25) em 14 estados brasileiros. Os dois são suspeitos de armazenar e produzir conteúdo com pornografia infantil.

FOTO G1
LEIA MAIS🔻
Dois homens foram presos em Paranapanema (SP) durante a Operação Glasnost, deflagrada pela Polícia Federal nesta terça-feira (25) em 14 estados brasileiros. Os dois são suspeitos de armazenar e produzir conteúdo com pornografia infantil.

De acordo com a polícia, uma equipe cumpriu mandado de busca e apreensão na casa de um morador da cidade, que estava sendo investigado pela produção, armazenamento e compartilhamento de pornografia. Com ele foram apreendidos DVDs, HDs com material pornográfico e câmeras fotográficas.
Ainda segundo a polícia, no mesmo imóvel um familiar estava acessando um site com pornografia infantil e foi preso em flagrante.
Os dois homens foram encaminhados para a delegacia da Polícia Federal, em Bauru (SP), onde serão ouvidos. Todo o material encontrado foi apreendido e será periciado.
Operação
Segundo a Polícia Federal, pelo menos 15 vítimas já foram identificadas. Até as 12h30, 30 pessoas tinham sido presas, sendo 27 em flagrante e três preventivas. Professores, médicos, estudantes, um porteiro, entre outros, também estão entre os presos.
Foram expedidos três mandados de prisão preventiva, 71 de busca e apreensão e dois de condução coercitiva, que é quando a pessoa é levada para prestar depoimento. As ordens judiciais estão sendo cumpridas em 51 cidades de 14 estados brasileiros.
O delegado da Polícia Federal (PF) Flávio Augusto Palma Setti disse que as investigações começaram com a prisão de um estudante de medicina, em 2010. "Ele citou um site russo que era utilizado como uma espécie de “ponto de encontro” de pedófilos do mundo todo", disse.
Depois disso, foi deflagrada a primeira fase, em 2013, e agora a segunda etapa. "Antes dessa última fase, nós identificamos algumas questões urgentes de casos de abuso em que as devidas providências foram tomadas", detalhou o delegado.
FONTE: G1 ITAPETININGA