terça-feira, 31 de outubro de 2017

CANCELADA REALIZAÇÃO DA "EMAPA 2017"


A Exposição Municipal Agropecuária de Avaré 2017 (EMAPA), programada para ser realizada entre os dias 2 a 10 de dezembro está oficialmente CANCELADA.
A Prefeitura de Avaré emitiu NOTA OFICIAL SOBRE O ASSUNTO.
Leiam a nota em MAIS INFORMAÇÕES↙
A Exposição Municipal Agropecuária de Avaré 2017 (EMAPA), programada para ser realizada entre os dias 2 a 10 de dezembro está oficialmente CANCELADA.Ontem, à noite, sete vereadores aprovaram uma Lei que impede a realização do evento.
Em duas oportunidades, o autor do Projeto, Vereador Toninho da Lorsa, que preside o legislativo, deu o voto, desempatando a questão.
Além do presidente Toninho da Lorsa, os vereadores Flávio Zandoná, Cabo Sérgio, Marialva Biazon, Adalgiza Ward, Ernesto Albuquerque e Barreto do Mercado votaram para impedir a festa popular.
A Prefeitura entende que está havendo uma perigosa intromissão do poder legislativo em assuntos de responsabilidade exclusiva do Executivo. 
A Prefeitura programou a EMAPA 2017 baseada na Lei Municipal 134/2001 que determina expressamente a realização do evento da 1ª quinzena de dezembro, Lei que está vigente e não foi revogada.
Por razões meramente políticas, que não levam em consideração a opinião da população em geral, os sete vereadores resolveram prejudicar a realização de um evento que possui 50 anos de história. A EMAPA foi projetada para ter grande parte custeada pela iniciativa privada mediante a autorização de exploração comercial. Pretendia-se arrecadar mais de R$ 1.500.000 que pagaria quase todos os custos.
O Prefeito, Jô Silvestre, lamenta profundamente o comportamento de pessoas que pouco estão produzindo para o crescimento da cidade. Os vereadores que acabaram com a EMAPA , ao que parece, estão mais preocupados em prejudicar a atual gestão, criando, a todo momento, especulações fantasiosas com o único propósito de denegrir a imagem pública não só do Prefeito, mas de alguns de seus principais Secretários.
O evento previa a realização de grandes shows como de Marília Mendonça, Maiara e Maraísa, Luan Santana, Bruno e Marrone, Jads e Jadson, MC Kevinho, Aline Barros e o Show Cabaré (Leonardo e Eduardo Costa).
Para 2018, a Prefeitura buscará na justiça a revogação da lei aprovada ontem por entendê-la totalmente inconstitucional.