terça-feira, 3 de outubro de 2017

OPINIÃO - SALTO ALTO: SEJA ELEGANTE SEM PREJUDICAR SEU CORPO

Qual mulher não se sente poderosa em cima de um belo par de salto alto? De fato, o sapato não só é ícone de sensualidade, como aumenta a autoestima da mulher, que fica com um visual bem mais elegante. Porém, a beleza tem seu preço. 
LEIA MAIS INFORMAÇÕES↙
O uso contínuo do salto pode prejudicar seriamente a coluna, as pernas, os joelhos, os tornozelos e os pés.
Alguns dos danos causados pelo excesso de uso do sapato são:
- Alteração do centro de gravidade
- Aumento da lordose (curvatura excessiva da coluna espinhal)
- Aumento da pressão sobre os joelhos
- Encurtamento muscular, que pode gerar desequilíbrio
- Aumento do número de quedas e lesões nos tornozelos e pés
Nos pés, especificamente, o uso constante do salto alto pode causar metatarsalgia (formação de calos), estímulo das joanetes e artrose.
Além disso, os saltos costumam apertar os dedos dos pés, reduzindo a circulação periférica, estimulando a formação de neuromas (lesão que ocorrem em um nervo do pé, mais especificamente no nervo que passa entre o terceiro e o quarto dedo) e outras deformidades ósseas.
E para quem tem joanetes?
Joanete é uma doença crônica e progressiva que atinge o primeiro dedo do  pé (dedão). Conhecida na ortopedia como “hallux valgus”, esta deformidade atinge: ossos, tendões, ligamentos e partes moles do pé, sendo mais frequentes nas mulheres (atinge uma entre cinco mulheres), e geralmente é bilateral. O problema é de caráter genético, mas o uso de calçados apertados e de salto alto contribuem para a evolução da doença.
Nos casos de deformidades pequenas e pouca dor, o uso de calçados macios, adesivos locais e analgésicos são suficientes. Vale a pena ressaltar que existe no mercado uma série de próteses, afastadores e aparatos que podem corrigir a doença.
A cirurgia somente é indicada nos casos de grande deformidade, diagnosticada por meio de raio x, e quando a função do pé está  prejudicada. A dor é o grande fator de queixa desses pacientes, seguido da queixa estética. No caso de cirurgia, a mais comum é a osteotomia (corte do osso com alinhamento e a retirada de partes moles exuberantes).
Portanto, quem já tem joanetes não resta outra alternativa a não ser usar sapatos mais confortáveis e deixar os saltos para eventos específicos.
Uma boa dica geral é variar a altura do salto, adotar o uso do salto plataforma (que dá mais estabilidade e gera menos danos), evitar os saltos muito finos (que causam mais desequilíbrio e desgaste de vários membros do corpo) e evitar os saltos de bico fino (que pressionam os dedos). 
O uso de silicones e adesivos ortopédicos também podem amenizar a pressão e a dor.
Por Dr. Sérgio Costa, Ortopedista com Especialização em Cirurgia de Joelho, Artroscopia e Próteses pela Escola Paulista de Medicina (UNIFESP); Pós-Graduado pela Faculdade de Medicina da USP em Ortopedia e  Traumatologia; Mestre pela USP; e Coordenador da Equipe Médica do Hospital São Luiz, unidade Itaim.