segunda-feira, 9 de outubro de 2017

TV AVARÉ - Igreja de São Benedito reinicia atividades

Na noite deste sábado, 7, o arcebispo de Botucatu, dom Maurício Grotto de Camargo, celebrou as 18 horas, a missa da dedicação do altar e da igreja matriz de São Benedito, que passou por obras de remodelação litúrgica nos últimos 3 anos.
O ato concluiu as comemorações do centenário oficial do culto a São Benedito em Avaré, iniciado em maio de 1917 com a construção da primeira capela em louvor ao santo negro.
O pároco padre Ademar Domingos Roma, comentou que graças a contribuição da comunidade às obras feitas no templo, pode-se concluir o trabalho incluindo a produção de três painéis iconográficos (Veja abaixo)
No total, cerca de R$ 900 mil foram investidos para a reforma da matriz, cujo prédio será indicado para tombamento histórico, a fim de garantir a sua conservação pelo valor artístico.  

    Antonio Batista de Souza Júnior realizou o trabalho de pintura iconográfica  FOTO: FORA DE PAUTA
LEIA TUDO EM MAIS INFORMAÇÕES↙

O patrimônio cultural de Avaré foi enriquecido com a produção de três ícones na igreja matriz de São Benedito. É o que anunciou com satisfação o padre Ademar Domingos Roma, gestor do segundo templo paroquial da cidade, que passa por reformas desde 2014, para Gesiel Júnior em texto publicado no site Fora de Pauta.
Antonio Batista de Souza Júnior, baiano de 33 anos. Atualmente, o pintor sacro atua em todo o Brasil e seu portfólio apresenta mais de 50 trabalhos ornamentais em presbitérios e tetos de igrejas e capelas de Santa Catarina, Bahia, Mato Grosso, São Paulo e Paraná foi o realizador do trabalho.
“A pintura iconográfica tem em si a incumbência mística, como as parábolas de Jesus, de proporcionar a compreensão do mundo espiritual para a nossa capacidade de entendimento do terreno, sendo assim, um instrumento de Deus, que junto a arte e de maneira nobre, norteie os fiéis que a visualizam à contemplação do ser absoluto”, explica Batista Júnior. 

Painel central

O painel central será cristocêntrico. Nessa iconografia Jesus ocupa o eixo central da pintura e da área da celebração. E ele é apresentado de pé, de corpo inteiro. Caminha em direção à assembleia, ao encontro do povo. “Toda composição artística do painel central se estende até os painéis laterais onde se encontra o Santíssimo Sacramento e o santo padroeiro, São Benedito. A ideia é que todos os painéis façam parte da celebração da liturgia celeste, em tempo; na cidade Santa, Jerusalém”, revela o artista.
“O ícone do Cristo – acrescenta – manifesta-se como aquele que preside tudo, especialmente a sagrada Liturgia. Nele, Cristo, mora todo o Mistério Pascal. Significa precisamente a presença viva do grande protagonista da liturgia e da Igreja. Somos presididos por alguém que está vivo”, destaca o artista.

Painéis laterais

De acordo com o padre Ademar “toda ideia iconográfica leva à atenção a Eucaristia, presença real de Jesus na espécie do pão presente no sacrário”. Um dos painéis laterais foi pensado para ressaltar o Cordeiro imolado, que representa o sacrifício de Cristo.
No centro do cordeiro sobressai: um pequeno losango de cor vermelho e branco. Ele evoca o alto do calvário, momento do golpe sobre o lado direito de Cristo, conforme o evangelho de João: “Mas um soldado golpeou-o o lado com uma lança, e imediatamente saiu sangue e água” (Jo 15, 1-17).
Por detrás do cordeiro, ergue-se uma oliveira, árvore espiritual, símbolo da força e da durabilidade. “Ela é a árvore da Vida. Sua primeira relação é com a própria cruz de Cristo que nos devolve o Paraíso, sendo ela, a cruz, a verdadeira Árvore da Vida”, explica o pároco numa alusão ao Livro de Provérbios. 
O outro painel lateral, por sua vez, decora a capela do padroeiro, com a imagem histórica de São Benedito. “No centro uma circunferência, que representa uma auréola, símbolo da santidade. Possui as mesmas cores dos demais painéis: marrom (remonta a tons de cor de terra), uma vez que os santos viveram já essa santidade aqui nesse mundo. Também esse painel é composto por uma vegetação em verde e paisageado por flores campestres. Representa o paraíso, onde os santos já vivem em merecimento por suas obras, essa plenitude.
Na parte inferior do mesmo painel trafega um rio, proveniente dos pés de Jesus (no painel central). Este rio concebe a vitória de Cristo, que pela sua morte na cruz dá-nos um tesouro infinito de graças à qual é distribuído entre os homens pelos sacramentos, de um modo particular, o sacramento do Batismo, onde os santos emergiram e viveram a santidade proveniente deste sacramento. “Encontramos também neste painel – conclui o padre Ademar – mais dois turíbulos pendentes (num total de seis). O incenso e o subir da fumaça simboliza a nossa adoração e oração, única e exclusiva a Deus, fazendo jus as palavras proferidas pelo salmista: “Suba a minha oração como incenso à tua presença”.