quarta-feira, 8 de novembro de 2017

OPINIÃO - Sua imagem e estilo revelam quem você é e aonde quer chegar?

Veja quando procurar uma consultoria profissional para causar a melhor impressão e conquistar seus objetivos.
É muito difícil termos uma segunda chance para causar uma boa impressão. Então, será que a imagem que você está passando para os outros realmente condiz com quem você é, o que faz e aonde quer chegar?
LEIA EM MAIS INFORMAÇÕES↙

Escolher o que vestir diariamente era um processo muito demorado e complicado para Aline Monteiro, de 27 anos. Mesmo com o guarda-roupa repleto de opções e peças novas, nenhuma combinação a satisfazia plenamente. “Era como se nada ficasse bom em mim. Como se nenhuma peça de roupa fosse aquilo que eu realmente queria vestir, pois me sentia muito magra”, conta. 

Esse dilema fez com que, muitas vezes, chegasse atrasada a compromissos e, só de pensar que precisaria se vestir para um evento importante, já era motivo de grande ansiedade e preocupação. Foi em uma dessas ocasiões que resolveu procurar ajuda profissional. “Quando conheci a Aline, ela transmitia insegurança e timidez pelo modo como se vestia”, comenta Gabriela Delanhesi, graduada em Moda, com curso de especialização pelo FIT (Fashion Institute of Technology), de Nova York e de maquiagem pelo Liceu de Maquiagem, de São Paulo, proprietária de escritório especializado em consultoria de imagem e estilo em Sorocaba, no interior de São Paulo. 
O trabalho de consultoria começou com a aplicação de um questionário. Por meio dele, foi possível identificar traços da personalidade de Aline, impressões sobre si mesma, maneira de se vestir, hábitos de consumo, preferências de cores, texturas e designers, aspirações pessoais e profissionais, expectativas quanto ao serviço contratado, entre outros. Após, foi feita uma análise de coloração pessoal. “Trata-se de uma das etapas mais importantes da consultoria, que possibilita identificar quais são as cores ideais para a pessoa, que vão iluminar o rosto, suavizar a textura da pele e equilibrar os traços”, explica Gabriela. 
O processo ainda continuou com o desenvolvimento de uma proposta de identidade visual, a montagem de looks e o serviço de personal shopper. Este último, fala a especialista, apenas se for necessário ou desejado, pois é perfeitamente possível trabalhar com as roupas disponíveis no armário. “Na grande maioria das vezes, peças há tempos esquecidas na gaveta ganham novas composições e, de anteriormente descartadas, passam a queridinhas da vez”.

Ainda assim, caso as compras sejam realmente indispensáveis, Gabriela lembra dos achados nos brechós. “Para quem sabe e tem paciência de garimpar, são verdadeiros baús do tesouro”, afirma.  Outro mito que a consultora rebate é o de que apenas “quem é rico” pode ter acesso ao serviço. “Isso também não é verdade. Há opções e formatos para todos os gostos e bolsos”, pontua.
Atualmente, após a conclusão do trabalho de consultoria, Aline diz sentir-se renovada e capaz de novas realizações. “Familiares e amigos falam que mudei, que estou confiante e mais bonita. Agora, me sinto com a autoestima elevada”, frisa.  
São diversos os motivos que levam uma pessoa a procurar uma consultoria de imagem e estilo, mas todos eles esbarram no desejo comum de autoconhecimento e de revelar ao mundo um visual que transmita os valores pessoais e auxiliem na conquista dos objetivos. Veja quando contratar o serviço e se você se encaixa em uma dessas razões: 
Quando você estiver em um processo de transição no emprego;
Quando tiver algum evento importante (casamento, reunião, coquetel e etc.);
Quando começa a questionar o seu próprio senso de estilo e seu guarda-roupa;
Quando você sentir que passa muito tempo procurando uma roupa, toda vez que precisa sair de casa;
Quando acha que não está aparentando o seu melhor ou que sua aparência não mudou em décadas;
Quando passou por alguma alteração de corpo e não se encontra mais nas suas roupas;
Quando sua autoestima está abalada;
Sente que nada mais te favorece e enjoa facilmente de tudo o que tem; 
Tem um armário abarrotado, mas não usa nem a metade dele;
Quando você vive fazendo compras sem sentido;
Acaba sempre usando as mesmas peças por falta de tempo ou criatividade.

Para saber mais, acesse: Instagram: Gabrieladelanhesi e Facebook: Gabriela Muraro Delanhesi.