domingo, 3 de dezembro de 2017

Dezembro Vermelho alerta para prevenção da Aids e ISTs


O mês de dezembro marca uma grande mobilização nacional sobre prevenção ao vírus HIV, AIDS e outras IST (infecções sexualmente transmissíveis).

O Dezembro Vermelho nasceu a partir da Lei 13.504, publicada no Diário Oficial no início de novembro, e dá sequência às ações do Dia Mundial contra a Aids, celebrando desde 1988 no mundo todo em 1º de dezembro.

LEIA MAIS🔻

O que é o HIV/Aids?


A Aids é uma doença infecciosa, transmitida por um vírus chamado HIV. Para ter a doença é preciso estar contaminado com o vírus HIV. A cada 15 minutos uma pessoa se infecta com o vírus no Brasil e sete pessoas morrem por dia em São Paulo.
De acordo com o médico infectologista, Ralcyon Teixeira, do Instituto Emílio Ribas, o vírus está presente principalmente no sangue e em algumas secreções do corpo, como o esperma, a secreção vaginal, o líquido que banha o bebê durante gestação e o líquido que banha o cérebro.
“Se a pessoa tiver contato com uma dessas secreções ou com o sangue contaminado e perfurando, porque na pele integra não passa HIV, ela pode se contaminar. Por outro lado não há vírus na saliva, na urina, nas fezes e na lágrima,” explicou.
As taxas de detecção do HIV na população como um todo cresceram 4,2 vezes entre 2000 e 2015, passando de 4,2 para 17,6 casos por 100 mil habitantes no período.
“Um dos motivos de ter aumentado o número de pessoas infectadas com o vírus do HIV/Aids é o hábito de não usar camisinha.” O alerta é do infectologista do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, Jean Gorinchteyn.
A Secretaria de Saúde mantém uma série de ações educativas com o intuito de reduzir tais índices. No entanto, a população mais jovem tem deixado de usar o preservativo em suas relações sexuais. Confira as recomendações abaixo:

Assim pega

– Sexo vaginal sem camisinha;
– Sexo anal sem camisinha;
– Sexo oral sem camisinha;
– Uso de seringa por mais de uma pessoa;
– Transfusão de sangue contaminado;
– Da mãe infectada para seu filho durante a gravidez, no parto e na amamentação;
– Instrumentos que furam ou cortam não esterilizados.

Assim não pega
– Sexo desde que se use corretamente a camisinha;
– Masturbação a dois;
– Beijo no rosto ou na boca;
– Suor e lágrima;
– Picada de inseto;
– Aperto de mão ou abraço;
– Sabonete/toalha/lençóis;
– Talheres/copos;
– Assento de ônibus;
– Piscina;
– Banheiro;
– Doação de sangue
– Pelo ar

Como receber o tratamento

Os Serviços de Assistência Especializada (SAEs) atendem quem precisa de tratamento. Confira aqui os locais.


#DezembroVermelho