CCR SPVias repassa mais de R$ 32 milhões para 26 municípios da região em 2017

AVARÉ RECEBEU MAIS DE 4 MILHÕES DA  CONCESSIONÁRIA E INVESTIMENTOS NA DUPLICAÇÃO ALÉM DE PROJETOS CULTURAIS


Cidades beneficiadas ficam lindeiras às rodovias do trecho de concessão.
Transformar a arrecadação das praças de pedágio em saúde, educação e transporte. Essas são algumas opções de investimento do ISS (Imposto Sobre Serviço) repassado pela CCR SPVias, empresa fiscalizada pela Artesp (Agência de Transportes do Estado de São Paulo), aos 26 municípios que margeiam o seu trecho de concessão.
Em 2017, a Concessionária repassou o valor de R$ 32.237.969,83, que é referente a 5% do valor bruto arrecadado nas praças de pedágio instaladas nas rodovias. Entre as cidades beneficiadas estão Itapetininga, Tatuí, Avaré, Itapeva e Capão Bonito.
De acordo com o diretor presidente da CCR SPVias, José Salim, o dinheiro do ISS contribuiu diretamente com o orçamento de algumas prefeituras nas quais há poucos serviços tributados. “O repasse do imposto é uma alternativa para driblar a atual crise econômica, complementando o caixa do poder municipal para investimentos em áreas fundamentais. Essa verba é repassada diretamente para as prefeituras, que podem reverter cada centavo em benefício da população, aplicando o dinheiro em áreas frágeis da cidade”, explica Salim.
Segundo Alexandre Conrado, relações institucionais da Concessionária, além dos recursos serem repassados diretamente aos municípios, por meio do pagamento de impostos, a CCR SPVias contribui de outras maneiras com o desenvolvimento das comunidades lindeiras. “Realizamos periodicamente programas educacionais, sociais e culturais, oferecendo capacitação para professores, alunos e apoio a grandes instituições, como o Projeto Guri e o Conservatório de Tatuí, diz”.

Municípios beneficiados com o ISS da CCR SPVias
  • Águas de Santa Bárbara – R$ 2.401.986,86
  • Alambari – R$ 1.002.236,27
  • Araçoiaba da Serra – R$ 822.261,05
  • Avaré – R$ 4.077.145,50
  • Bofete – R$ 1.690.556,54
  • Buri – R$ 46.383,64
  • Capão Bonito – R$ 1.425.205,02
  • Capela do Alto – R$ 326.624,79
  • Cerqueira Cesar – R$ 866.771,52
  • Cesário Lange – R$ 1.306.361,99
  • Iaras – R$ 1.522.794,07
  • Itaberá – R$ 353.221,14
  • Itaí - R$ 301.483,98
  • Itapetininga – R$ 3.246.409,45
  • Itapeva – R$ 758.325,51
  • Itararé – R$ 383.725,89
  • Itatinga – R$ 3.980.758,32
  • Pardinho – R$ 1.269.901,35
  • Porangaba – R$ 1.594.748,02
  • Quadra – R$ 1.144.880,84
  • São Miguel Arcanjo – R$ 143.220,44
  • Sarapuí – R$ 103.593,70
  • Santa Cruz do Rio Pardo – R$ 1.163.277,95
  • Taquarivaí – R$ 428.659,37
  • Tatuí – R$ 1.743.582,76
  • Torre de Pedra – R$ 134.853,86

Sobre a CCR SPVias: A CCR SPVias opera uma das maiores malhas rodoviária do Estado de São Paulo, com 516 quilômetros de rodovias que ligam os municípios de Tatuí, Espirito Santo do Turvo, Araçoiaba da Serra, Itapetininga, Avaré, Itaí, Capão Bonito e Itararé. Fazem parte do sistema as rodovias Castello Branco (km 129 ao 315), Raposo Tavares (km 115 ao 168) João Mellão (km 237 ao 288), Francisco Alves Negrão (km 222 ao 342), Antonio Romano Schincariol e Francisco da Silva Pontes (km 105 ao 213).
Sobre o Grupo CCR: Fundado em 1999, o Grupo CCR é uma das maiores companhias de concessão de infraestrutura da América Latina. Controla, atualmente, 3.265 quilômetros de rodovias sob a gestão das concessionárias CCR NovaDutra (SP-RJ), CCR ViaLagos (RJ), CCR RodoNorte (PR), CCR AutoBAn (SP), CCR ViaOeste (SP), CCR RodoAnel (SP), Renovias (SP), CCR SPVias (SP) e CCR MSVia (MS). Também faz parte do controle acionário da concessionária ViaRio, responsável pela construção e operação do Corredor Expresso Transolímpica, no Rio de Janeiro. O Grupo CCR atua ainda no setor de transmissão de dados de alta capacidade por meio da Samm, empresa prestadora de serviços de comunicação multimídia e conectividade IP com mais de 4.700 quilômetros de fibra óptica subterrânea e aérea. Além disso, o Grupo CCR está presente no segmento de transporte de passageiros por meio das concessionárias ViaQuatro, CCR Barcas e CCR Metrô Bahia, responsáveis, respectivamente, pela operação da Linha 4-Amarela de metrô de São Paulo, pelo transporte aquaviário de passageiros no Rio de Janeiro e pelo sistema metroviário de Salvador e Lauro de Freitas, além de ter participação na concessão do VLT Carioca (Veículo Leve sobre Trilhos), que interligará a região portuária e o centro do Rio de Janeiro. O grupo ingressou, em 2012, no setor aeroportuário, com a aquisição de participação acionária nas concessionárias dos aeroportos internacionais de Quito (Equador), San José (Costa Rica) e Curaçao. No Brasil, possui a concessionária BH Airport, responsável pela gestão do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte, em Minas Gerais. Em 2015, adquiriu a TAS (Total Airport Services), empresa norte-americana prestadora de serviços aeroportuários. Comprometida com o desenvolvimento sustentável, a CCR assinou o Pacto Global da ONU e, em 2016, faz parte da carteira teórica do ISE (Índice de Sustentabilidade Empresarial), da BM&FBovespa, pelo quinto ano consecutivo. Emprega, atualmente, cerca de 11 mil colaboradores.
Postar um comentário

INSTAGRAM

INSTAGRAM
Copyright © REDE GUMA. Designed