Moradores relatam terem sofrido golpe do seguro-desemprego em Avaré

Três moradores de Avaré (SP) alegam que goram vítimas do golpe do seguro-desemprego, em que criminosos conseguem os dados de quem vai receber o benefício e sacam o dinheiro antes dos benficiários.
De acordo com a Polícia Civil, os três segurados afirmaram que deixaram de receber entre R$ 1 mil e R$ 600. As vítimas alegaram que foram informadas de que os saques foram feitos em uma agência do Rio de Janeiro.
Um dos beneficiários, que prefere não se identificar, conta que o dinheiro do seguro ai ser usado para pagar as contas pessoais.
Beneficiários contam que sofreram golpe do seguro-desemprego em Avaré (Foto: Reprodução/TV TEM)
Beneficiários contam que sofreram golpe do seguro-desemprego em Avaré (Foto: Reprodução/TV TEM)
"É uma falta grande. É um dinheiro que ia ser usado para pagar as contas. Chegar e saber que o dinheiro não estava lá foi um baque grande. Tive que emprestar dinheiro para pagar as contas. Como a pessoa consegue sacar o dinheiro?", relata.
Em nota, a Caixa Econômica Federal informou que atua constantemente na prevenção de eventuais fraudes e realiza monitoramento online das operações que envolvem o pagamento de benefícios e, caso o cliente necessite efetuar alguma contestação de saque, conforme prerrogativas contratuais, o reclamante deve comparecer à Superintendência Regional do Trabalho e Emprego para formalizar pedido de apuração por parte do Ministério do Trabalho.
Nesses casos, a assessoria informou que a Caixa presta todas as informações necessárias ao Ministério do Trabalho para auxiliar na análise dos processos de contestação, bem como, quando necessário, disponibiliza subsídios à Polícia Federal, para auxiliar em eventuais investigações.

Investigação

As vítimas registraram boletins de ocorrência, mas como o seguro-desemprego é um benefício custeado com recursos federais, os casos serão encaminhados para a Polícia Federal investigar.
De acordo com o delegado Marco Aurélio Gomes, para tentar recuperar o dinheiro as vítimas devem procurar também a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego.
"A gente orienta a vítima a procurar o Ministério do Trabalho e lá apresentar a queixa do saque indevido. Constatando a fraude, haverá restituição do valor", afirma.


Veja mais notícias da região no G1 Itapetininga
Postar um comentário

INSTAGRAM

INSTAGRAM
Copyright © REDE GUMA. Designed