MORRE "NEGÃO" QUE "TRABALHAVA" NUM POSTO DE COMBUSTIVEIS

O cão Negão foi adotado e virou ‘funcionário exemplar’ de posto de combustíveis


VEJA A HISTÓRIA DE NEGÃO

Negão foi adotado há dois anos, quando rondava a construção do posto de combustíveis em Mogi e desde então não saiu mais de lá.
Um posto de gasolina localizado na Av. Francisco Ferreira Lopes, em Mogi das Cruzes (SP), tem um atrativo que nenhum outro tem: o simpático Negão, um cão que foi adotado e hoje em dia usa crachá e boné personalizados, e faz o maior sucesso entre os clientes.
“Os clientes o amam! Alguns até levam brinquedinhos para ele. A função dele é ‘comercial’, porque é exatamente isso que ele faz: vai até o cliente e joga seu charme”, contou a empresária Sabrina Plannerer, cujos pais são os donos do posto, em entrevista ao E+.
Tudo começou há dois anos. Ao comprar o posto de gasolina que estava em construção, Sabrina e seus pais encontraram o cão no local. “Ficamos bem preocupados, com medo de que, quando abríssemos ao público, ele pudesse fugir ou assustar os clientes. Mesmo assim, decidimos adotá-lo, e dar todo o carinho e suporte que um animal precisa“, relembra.
Sabrina levou Negão para o veterinário, onde foi vermifugado e tomou vacina. Negão também ganhou casinha, ração, coleira e roupas. Negão esteve ao lado dos seus donos no dia de inauguração do posto de gasolina. “Ele foi incrível! Não saiu de perto da gente, não quis escapar para a avenida, só ficou lá deitado esperando carinhos”, contou Sabrina.


Negão ganhou asas


Negão morreu.

O cachorro já era um senhorzinho de 11 anos e pesava 50 kg. Um médico veterinário tinha alertado que seu coração estava fraco e os frentistas acreditam que isso foi a causa da morte. O cão-frentista recebeu homenagens nas redes sociais após sua partida.
Postar um comentário

INSTAGRAM

INSTAGRAM
Copyright © REDE GUMA. Designed