Tocar um negócio próprio exige de você várias responsabilidades: persistência, compromisso com clientes e fornecedores, planejamento de custos e conquista da clientela. Mas será que você consegue fazer tudo isso sozinho? Pode ser que sim, mas, dependendo do seu ramo profissional, você deverá considerar a possibilidade de dividir suas atividades com um sócio. Talvez você tenha algumas qualidades para ser um bom empreendedor, mas não todas. O que fazer? 

Se sua opção for buscar um sócio, é muito importante que você tenha claro que: 

- O melhor amigo pode não ser um bom sócio; 

- Pessoas da família podem ser muito queridas, mas, no dia a dia do trabalho, as relações podem ficar confusas. 

Isso quer dizer que amigos e parentes estão descartados? Não. Mas independentemente da relação afetiva que você tenha, o mais importante é que vocês se conheçam muito bem e coloquem no papel o que cada um espera do outro. Afinal, se você chamou essa pessoa para ser seu sócio, espera que ela divida com você muitas responsabilidades. 

Coloque tudo no papel em uma conversa amigável: Quanto cada um poderá retirar da empresa? O que cada um deverá fazer? Qual é o horário de trabalho? Quais serão as responsabilidades? Divida as funções e tudo o que envolver o desempenho do seu empreendimento.

Acompanhe nossa série sobre EMPREENDEDORISMO toda quarta e sexta.
Edição: Fernanda Castellucci