No Hospital das Clínicas de Botucatu, vinculado à Universidade Estadual Paulista (Unesp), o Centro de Avaliação em Mastologia conta com uma equipe multidisciplinar que atua para diminuir o tempo de espera por exames na rede pública de saúde e oferece um tratamento completo às pacientes da região que buscam o serviço.

Vale lembrar que o câncer de mama é o segundo tipo mais comum da doença entre as mulheres brasileiras. Diariamente, o espaço atende uma média de 50 mulheres, por meio de consultas gratuitas e que funcionam no modelo de livre demanda, uma espécie de pronto atendimento.

“A paciente pode vir por encaminhamento do posto, mas não precisa agendar. Ela vem por conta própria, no dia que achar mais conveniente. Contudo a demanda é muito grande”, alerta Heloísa Vespoli, professora da universidade e coordenadora do centro, à TV Unesp.

De acordo com a docente, por causa da grande procura, às vezes, não é possível atender as pacientes nos dias em que elas se dirigem à unidade de saúde. “No entanto, elas são avaliadas e têm um retorno em data próxima, para vermos o que está acontecendo”, completa a coordenadora.

Referência

Fundado no início da década de 1990, o espaço é referência na região de Botucatu em relação à saúde mamária. Um dos diferenciais do local é a estrutura completa para o atendimento (desde o diagnóstico até o tratamento) e a realização de exames de imagem.

O acompanhamento é feito no Ambulatório de Seguimento, o principal entre os quatro do centro. Um dia por semana, a equipe recebe pacientes que já enfrentaram a luta contra o câncer.

“O tratamento aqui é vip em tudo. Os médicos entendem o medo que temos. Então, a equipe passa para nós a confiança. Isso nos anima muito”, ressalta à TV Unesp a paciente Guiomar Ribeiro, moradora de Avaré e que descobriu a doença na mama. Ela passou por todas as etapas de tratamento e volta ao hospital apenas para os exames de rotina.

Residência

O centro também é responsável pelo Programa de Residência em Mastologia e abre uma vaga todos os anos. A oportunidade de 2018 foi aproveitada pela residente Michelle Omodei, que decidiu se especializar após ter contato com a área durante a residência em Ginecologia e Obstetrícia.

“Eu me interessei muito por essa área justamente pela importância do câncer de mama. Existe uma alta prevalência entre as mulheres hoje em dia. Se a doença for descoberta no início, as pacientes evoluem muito bem”, relata Michelle Omodei. Os cinco médicos que trabalham no local foram residentes do centro.

“Eles tratam a gente com muito tempo. Parece que somos da família. É um contato muito bom mesmo”, afirma à TV Unesp a paciente Odete de Oliveira Tulio. “Após a reconstrução mamária, eu tive mais autoestima. Somos mulheres e temos um pouco de vaidade. Estou feliz”, revela.

Para informações sobre os serviços oferecidos pelo Centro de Avaliação em Mastologia, os interessados podem entrar em contato pelo telefone (14) 3811-6528 ou por e-mail: pgmasto@fmb.unsp.br.