PODCAST REDE GUMA - Infecções transmitidas via relação sexual

Infecções transmitidas via relação sexual, gonorreia e clamídia são mais comuns entre jovens











Algumas Infecções Sexualmente Transmissíveis (ISTs) apresentam altos índices de contaminação, a exemplo do HIV, sífilis e hepatites virais. Menos conhecidas, a gonorreia e a clamídia, doenças transmitidas por meio de relações sexuais, afetam principalmente a população jovem.
PARA OUVIR CLIQUE NO ➤
Sem notificação obrigatória, as duas infecções apresentam números que chamam a atenção.
A coordenadora-geral de Vigilância de Infecções Sexualmente Transmissíveis do Ministério da Saúde, Angélica Espinosa, revela que a clamídia e a gonorreia têm prevalência de 8% a 12% entre os brasileiros de 15 a 24 anos.
“Elas são doenças bacterianas que têm diagnósticos e tratamentos. Quando há algum sintoma, causam secreções vaginal ou uretral. Só que muitas das pessoas não têm nenhum sintoma. O fato de eu não ter sintoma não quer dizer que eu não estou transmitindo a doença.”
Apesar de serem causadas por bactérias diferentes, essas ISTs atingem o corpo humano de forma semelhante: causam lesões nos órgãos genitais, garganta e olhos. Se não tratadas a tempo, podem causar infecções na pélvis, infertilidade, dores durante as relações sexuais e complicações durante a gestação.
Mesmo que as duas infecções tenham cura, é recomendado que as pessoas que iniciaram o tratamento entrem em contato com os parceiros sexuais para que não haja risco de reincidência, mesmo que não apresentem sintomas. Há exames capazes de identificar as doenças mesmo sem sinais aparentes.
Sem camisinha, você assume esse risco. Use camisinha e proteja-se da gonorreia e da clamídia e de outras ISTs, como HIV e Hepatites. Para mais informações, acesse: saude.gov.br/ist.


Postar um comentário

0 Comentários