IDOSA É VÍTIMA DE GOLPE EM AVARÉ E PERDE 2 ML REAIS

Uma idosa de 60 anos caiu em um golpe manhã de terça-feira, dia 28 de abril de 2020, em Avaré. 
Os criminosos enganaram a mulher e acabaram conseguindo levar cartões de crédito com as senhas. Os golpistas acabaram gastando quase R$ 5 mil em compras e sacaram cerca de R$ 2 mil que ela tinha na poupança.



Segundo informações da família, os cerca de R$ 5 mil gastos em compras nos cartões de crédito eles acabaram recuperando, após as operadoras estornarem os valores. Porém, a idosa perdeu o dinheiro que estava na poupança.
Revoltada, uma das filhas postou um texto em uma rede social alertando a população para o golpe. 
“Ontem aconteceu algo muito triste com minha mãe. Ligaram para a casa dela, primeiro perguntando se ela estava sozinha, dizendo que era do Banco Santander e que ela está sendo vítima de um golpe, que já haviam gasto com o cartão dela mais de R$ 4.000.00”, 
postou a filha D.P.

A mulher ficou desesperada, sendo que o golpista falou que tinha que resolver o problema pelo telefone, senão ela teria que ir a São Paulo. 
“Ela começou a chorar e o maldito tentando conforta-lá, dizendo que tudo iria ficar bem”.
A filha revelou que a mãe chegou a dizer que iria ligar para os filhos, mas o criminoso pediu para que ela não desligasse o telefone. 

“Ela disse que iria ligar para filha dela e ele disse que não precisava que eles resolveriam tudo. Ela chorando, desesperada e o FDP mandando ela não desligar o telefone que o rapaz já estava chegando pra pegar os cartões com as senhas”.

O que chama a atenção é que os criminosos sabiam quantos cartões a mulher possuía e, até mesmo, o número do CPF dela.
Enquanto o golpista estava no telefone, um outro criminoso apareceu na casa da mulher para pegar os cartões com as senhas.

“O suposto funcionário do banco chegou todo bem vestido, pegou o cartão do Santander e o da Caixa Econômica Federal e as senhas e perguntou dos outros cartões. Ela disse que não estavam com ela os outros”.

Momentos após o golpista ir embora, ela recebeu mensagens no celular avisando sobre os gastos nos cartões dela.

“Aí ela recebeu a mensagem no aplicativo do celular que haviam feito compras no cartão dela. Foi aí que ela percebeu que havia caído num golpe. Fizeram compras no crédito, mais graças a Deus consegui fazer o estorno só que na caixa levaram todo o dinheiro da poupança dela”.

A filha alerta para que outras pessoas não caiam no golpe. 
“Fiquem atentos. Avisem seus pais, parentes pra não atenderem o telefone dizendo que e do banco e que vão retirar os cartões com a senhas. Infelizmente a minha mãe foi a vítima ontem, e a gerente do banco disse que isso eles estão fazendo de monte.. Eu precisa avisar vocês pra não caírem nessa conversa e pra não serem mais uma vítima”,
 finalizou a filha D.P.

➤CUIDADO – Diante do investimento pesado dos bancos em tecnologia para evitar fraudes —cerca de R$ 2 bilhões ao ano—, golpistas têm se especializado em driblar o ponto mais vulnerável do sistema: você.
Cerca de 70% das fraudes aplicadas contra clientes de instituições financeiras resultam do método conhecido como engenharia social, composto por técnicas de convencimento utilizadas por criminosos para induzir o consumidor a fornecer dados pessoais e senhas, segundo a Febraban (Federação Brasileira de Bancos).

Telefonemas de falsos funcionários de bancos, sites que imitam páginas oficiais de compras online, mensagens por aplicativos como o WhatsApp ou até mesmo pessoalmente.

Independentemente da forma de contato, os fraudadores dispõem de recursos para passar a sensação de confiança para convencer o consumidor a fornecer seus dados.
 “Os fraudadores entram em contato com as pessoas usando de diversos artifícios que fazem com que as vítimas acreditem que estão falando com alguém do banco”, 
afirma Walter Faria, diretor-adjunto de operações da Febraban.

As possibilidades de fraudes por meio da engenharia social são amplas, mas, segundo a federação, existem seis tipos de golpes mais frequentes: clonagem do WhatsApp para pedir dinheiro emprestado; retirada do cartão por um motoboy; troca do cartão ao pagar algo na maquininha de débito; repetir a operação na máquina de débito para cobrar em dobro; falso telefonema do banco para pedir dados pessoais; envio de mensagem com link para falso site de compras.

As medidas a serem adotadas pelo consumidor para não cair em truques de falsários podem ser resumidas em dois cuidados básicos.

O primeiro é não fornecer dados quando a iniciativa do contato for tomada por um terceiro. A segunda medida de segurança é redobrar a atenção sempre que for digitar a senha do cartão bancário. (Com informações do Agora/Folha) DA VOZ DO VALE

Postar um comentário

0 Comentários