COLUNA DA TERAPEUTA - Síndrome do Pânico, sob o olhar da Medicina Tradicional Chinesa





Para a Medicina Tradicional Chinesa - MTC, síndrome do pânico é uma defesa do organismo, é um esgotamento da energia Jing.
Segundo a MTC, a síndrome do pânico é um esgotamento da energia Jing, que é a essência da energia do rim. Entre os cinco movimentos é o órgão que se relaciona com o medo e o pânico.
Explico. Segundo a MTC, as cinco formas de movimentos da energia da natureza são representadas por Madeira, Fogo, Terra, Metal e Água. Elas representam tudo o que existe no universo, ou seja, a interação entre o micro e o macrocosmo. Portanto, esses cinco elementos estão intrinsecamente ligados à nossa personalidade.
Por essa ótica, a MTC considera que o ambiente, influencia diretamente nosso estado físico e emocional, bem como nossa personalidade.
Os cinco elementos estão relacionados aos órgãos e aos temperamentos. A energia do rim (elemento água) representa os sentidos de ação e reação e se relaciona com o medo e o pânico.
As causas do esgotamento do Jing são o excesso de esforço físico e mental, trabalhar demais, doenças crônicas, fatores traumáticos, devido a uma atividade física muito intensa, dieta e sono desregrados e até mesmo a perda de energia em conseqüência do parto.
Num processo crônico perde-se muito Xue, que é o esgotamento da energia perdida no parto por exemplo. Essa energia se encontra em neurotransmissores e neuropeptídios como a serotonina. Isso também pode ser ocasionado por fatores traumáticos causados por doenças graves.
O mecanismo da harmonia da energia Ch'i (energia vital) e do Xue fortalecem o Jing e a energia do rim assim se consolida. Por isso, o esvaziamento da energia do rim é fruto do esgotamento das energias Ch'i e Xue.
Síndrome do Pânico, sob o olhar da Medicina Tradicional Chinesa.
Imagine uma casa com todas as luzes acesas, chuveiro ligado, todos os aparelhos elétricos ligados... O que vai acontecer depois de um tempo? Uma queda total de energia com o desarmamento do disjuntor. Se você ligar o disjuntor novamente ou fizer uma ligação direta e não desligar os aparelhos, irá ocorrer uma queda de energia ou um curto-circuito e a casa pode até pegar fogo.
Fazendo uma analogia com o corpo humano, onde o organismo e os neurônios estão sobrecarregados, ocorre a síndrome do pânico, que poderíamos considerar como uma espécie de apagão. O objetivo é o de proteger o organismo em estado de estresse, que leva a um alerta máximo; e não deixar os neurônios "torrarem". Ou seja, a síndrome do pânico corresponde à queda do disjuntor.
Remédios antidepressivos à base de fluoxetina, para tratamento da síndrome do pânico, têm eficácia principalmente na fase aguda da doença, mas eles não promovem a sua cura, mas apenas a remissão dos sintomas.
Voltando à analogia entre casa e corpo humano, esses remédios equivalem a fazer uma ligação direta para manter a casa em funcionamento. O combate efetivo seria desligar os aparelhos que não precisam estar ligados e, no caso do corpo humano, combater os fatores de estresse e preocupação que geraram a síndrome do pânico. Para isso é necessário: relaxamento, yoga, atividade física moderada, meditação, dieta e sono regulares, psicoterapia. Enfim, mudanças de hábitos de vida.
Acupuntura serve para tratar síndrome do pânico?
Os pontos de acupuntura através das agulhas irão fortalecer as energias Xue e Ch'i do rim.

Espaço Vivendo sem Dor
Terapeuta Evelin de S.Lourenço 
CRTH BR 4279
terapeuta.evelin@gmail.com
@espacovivendosemdor
www.facebook.com/vivendosemdor
#vivendodor
(14) 99611.1394