CLIMA: Setembro começa com calor e umidade típica de clima desértico


A falta de chuva foi sentida em quase todo o mês de agosto na maioria das áreas do Brasil e setembro também vai começar com predomínio de tempo seco. Além da secura, o calor intenso também vai chamar a atenção, com alguns estados registrando mais de 40°C.

28/08/2020 
por Redação

Apesar da previsão de chegada de duas frentes frias no começo do mês, a forte e grande massa de ar seco que predomina sobre o Brasil vai dificultar muito a penetração destas frentes frias pelo interior do país nos primeiros 10 dias do mês de setembro. 

 


Foto de Ademir Pires, Diadema (SP)

 

Ar muito seco

A tendência é que o tempo muito seco , e com temperaturas bastante elevadas, predomine no Brasil nos primeiros 10 dias de setembro. Muitas áreas do país vão continuar passando várias horas consecutivas com umidade relativa do ar entre 20% e 30%, que  são índices muito abaixo dos 60% recomendado pela Organização Mundial da Saúde. 

 

Níveis de umidade relativa do ar em torno de 10% poderão ser observadas em locais do Centro-Oeste e do interior do Sudeste, como já ocorreu na última semana de agosto. 

 

O mapa indica a projeção de um sistema de alta pressão forte (massa de ar seco) na média atmosfera (circulação anticiclônica em aproximadamente 5000 metros de altitude) previsto para o começo de setembro.  

 

O sistema de alta pressão atmosférica fica sobre o Sudeste e o Centro-Oeste (linha de 5900 hPa) e afasta as frentes frias para alto-mar e dificulta o avanço das frentes frias pelo interior do continente.

 

 

Projeção do geopotencial médio em 500 hPa

 

Variação de umidade interfere na saúde

 

Pouca chuva

A chuva da passagem destas duas frentes frias ficará concentrada sobre o extremo sul do Brasil e nas áreas próximas ao litoral do Sul e do Sudeste. A circulação marítima de vento ajuda a formar nuvens de chuva fraca na costa leste do Nordeste. O ar quente e úmido provoca pancadas de chuva em parte do Norte do Brasil.

 

Os mapas mostram a projeção da chuva acumulada até 10 de setembro, de acordo com o modelo WFR-2. Até 5 de setembro, os maiores volumes de chuva no país ocorrem sobre o centro-sul e parte do leste do Rio Grande do Sul, o que indica uma concentração de instabilidade.

 

Previsão do acumulado de chuva no Brasil de 1 a 5 de setembro de 2020 (WRF 2)

No período de 6 a 10 de setembro, a chuva é fraca em áreas do Sul e do Norte do pais.


Previsão do acumulado de chuva no Brasil de 6 a 10 de setembro de 2020 (WRF 2)

 

 

Calor no começo de setembro

Sem frente fria e consequentemente sem entrada de massa da ar polar pelo interior do Brasil, o primeiro 1/3 do mês de setembro deve ser de calor intenso, com temperatura próxima e até passando dos 40°C. Mas o ar frio vai atingir com força o Rio Grande do Sul e os gaúchos, e talvez os catarinenses, vão sentir frio em meio ao calor no restante do país.

 

Além disso, a umidade relativa do ar fica muito baixa em áreas do Centro-Oeste, do interior de SP, oeste de MG e da BA, do TO, sul do PA e de RO. Valores abaixo de 15% voltam a ser registrados como ocorre nesta última semana de agosto.

Os mapas abaixo mostram uma projeção do modelo GFS para a temperatura máxima, dia a dia, para o período entre os dias 4 e 11 de setembro de 2020. A linha rosa é de temperatura máxima entre 38°C e 40°C.

Postar um comentário

0 Comentários