De sacoleira a executiva de sucesso: Erika Linhares lança livro de estreia


Gente feliz não enche o saco apresenta o método de gestão corporativa que transformou a vida da empreendedora mineira de Sete Lagoas, que, quando criança, viu o pai ir à falência. A autora, que foi diretora nacional de vendas de uma grande multinacional da telefonia, explica como deu a volta por cima
“Posso dizer, sem medo, que a minha família foi a primeira equipe da qual fiz parte – e que equipe! Que lideranças! Quando eu via minha mãe, com as mãos contorcidas e sentindo muita dor por causa da artrite, e ainda assim empurrando aquela carrocinha de cachorro-quente na praça para ter dinheiro para pagar seu plano de saúde, como eu poderia pensar em assumir o papel de vítima? Quando eu via meu pai, depois de décadas de trabalho, ter de lutar para reconstruir o ganha- pão da família, como eu poderia me acomodar e esperar que a prosperidade caísse do céu?

Há quem fale de gestão e nunca foi líder. Há quem fale de sucesso profissional, mas nunca viveu o sucesso. Erika Linhares, palestrante, executiva especializada e comportamento e pedagoga, viveu na pele diversas dificuldades, se reergueu e teve sucesso. Liderou mais de 15 mil pessoas em sua gestão como diretora nacional de uma multinacional. Ela lança em outubro a obra Gente Feliz Não Enche o Saco, pela editora BestBusiness.

No livro, Erika conta sobre sua trajetória pessoal e profissional desde a adolescência vivida em Sete Lagoas, em Minas Gerais, até se tornar uma empreendedora, sócia da B-Have, empresa em que dá palestras e cursos em empresas pelo Brasil todo. Na obra Erika também conta e ensina como conquistar
sucesso na carreira. Além de ser executiva, ela é pedagoga e tem método e didática para falar sobre o assunto.

A cada capítulo, os leitores aprendem diferentes ensinamentos com base em experiências vividas pela empresária ao longo da carreira. Logo no início da obra, ela conta sobre a primeira equipe de trabalho da qual fez parte: sua família. O pai faliu e todos, que viviam muito bem e não estavam acostumados com dificuldades financeiras, precisaram recomeçar. A mãe foi vender cachorro-quente, os irmãos passaram a negociar talão de estacionamento, o pai foi à luta para recomeçar os negócios em uma garagem e Erika virou sacoleira.

Cada capítulo termina com um quadro de lições aprendidas, em que a empreendedora leva os leitores a refletirem sobre o que foi lido, além de incentivar que todos tenham mais atitudes e se coloquem menos na posição de vítimas. Entre os ensinamentos, estão a importância de aprender com os erros, ajudar mais as pessoas e julgar menos, cair e levantar, ser grato pelo que tem hoje, ser um chefe mais humano que ensina seus funcionários, etc.

Sobre Erika Linhares: Executiva especializada em comportamento e cultura dentro de organizações, chegou a ser sacoleira aos 15 anos quando o pai, dono de uma imobiliária, perdeu tudo na década de 90. Trabalhou ainda na área pública na Prefeitura de Sete Lagoas, em Minas Gerais. Depois de entrar na faculdade de pedagogia, começou a carreira no sistema privado aos 19 anos, ganhando R$ 350 reais como atendente de loja. Vinte anos depois, deixou o mercado corporativo como diretora nacional de uma das maiores empresas do Brasil para atuar como gestora de carreiras em sua empresa, a B-Have. Mais de 15 mil pessoas e 600 parceiros comerciais passaram pela gestão da executiva. Com mais de 44 mil seguidores no Instagram, toda segunda, ela posta vídeos da série Segundou na rede social e no canal dela no Youtube com o objetivo de fazer com que as pessoas sejam mais felizes no trabalho. Já às terças e quintas, às 18h30, ela faz lives no Instagram em que aborda diferentes temas.

Postar um comentário

0 Comentários