Hospital Amaral Carvalho anuncia nova unidade de tratamento da COVID-19

JORNAL DO GUMA "SAÚDE"
  • Hospital já atendeu mais de 300 pacientes em sua unidade principal desde o início da pandemia. E apresenta plano para fazer mais atendendo toda região.



Ao longo de sua história, o Hospital Amaral Carvalho sempre foi marcado por grandes desafios. Desde a sua fundação, em 1905, quando o casal Domingos Pereira de Carvalho e Anna Marcelina de Carvalho decidiu construir uma maternidade para enfrentar a alta taxa de mortalidade de crianças e parturientes no início do século, e também na década de 70, quando o câncer se revelou uma doença agressiva e assustadora para muitas famílias e decidiu se tornar o primeiro hospital oncológico do interior do Estado de São Paulo.

E não poderia ser diferente agora, com a pandemia do novo coronavírus. Apesar de não ser um hospital referência no tratamento da COVID-19, desde março do ano passado, o Hospital Amaral Carvalho vem fazendo a sua parte no enfrentamento dessa crise. Sensível a esse delicado momento de hospitais lotados e a dificuldade na busca de um atendimento de excelência, o HAC também se preparou para o novo coronavírus.

Desde o início da pandemia até hoje, o Hospital Amaral Carvalho já tratou de mais de 300 pacientes com a doença, a maioria de Jaú, mas também atendeu pacientes de outras regiões do estado e do país. Para isso, teve que se reinventar. Foram criados 37 leitos só para atendimento de pacientes da COVID-19, sendo 29 leitos de enfermaria e nove leitos de UTI. Do quadro atual de funcionários, 121 deles foram destacados para atuar na pandemia. Além disso, foram criados novos protocolos de atendimento e procedimentos para enfrentar a pandemia.

Por ser um hospital referência em tratamento oncológico, onde os pacientes são imunodeprimidos por causa de tratamentos intenso com cirurgia, transplante, quimioterapia ou radioterapia, a tarefa foi ainda mais difícil. As áreas para o tratamento da COVID-19 tiveram que ser isoladas dos outros setores do hospital e até a Unidade de Terapia Intensiva teve que ser redesenhada para atender os pacientes com a COVID na forma mais grave.

“É quase uma operação de guerra, tudo teve que ser muito bem planejado para não colocarmos em risco os nossos pacientes oncológicos, que, por si só, já sofrem com uma doença grave e que provoca a imunodepressão. Foi como construir novo fluxo de um hospital com uma pandemia em andamento, mas, com o esforço de todos, estamos conseguindo”, disse o gerente médico do HAC, o infectologista João Gabriel Soares.

Além de toda essa estrutura, o Hospital Amaral Carvalho sempre esteve atento aos acontecimentos da pandemia do novo coronavírus. Vem mantendo contato com todas as esferas de governos para colocar à disposição sua estrutura médica e operacional para auxiliar no combate à COVID-19. Recentemente, foi consultado pela Prefeitura de Jaú sobre a disponibilidade de cessão de dez leitos de enfermaria para atender pacientes da cidade.

Com a capacidade de atendimento atual de seu hospital no limite, o Amaral Carvalho resolveu ajudar mais do que os dez leitos pedidos: informou aos governantes de Jaú sua intenção de criar um Centro de Combate à COVID-19, contando com a ajuda de doações da população, de empresas, verbas governamentais e também com recursos próprios.

Essa unidade será instalada na Unidade Ana Maria Ferraz, antigo prédio da empresa Jaú Diesel, às margens da Rodovia Comandante João Ribeiro de Barros, que recentemente foi doado à Instituição pela professora bauruense Márcia Faria de Castro. Será uma unidade provisória, mas com o compromisso de atender a todos enquanto houver a necessidade da população para tratamento da COVID-19.

O Centro de Combate à COVID-19 proposto pelo Hospital Amaral Carvalho será adaptado dentro de um pavilhão com cerca de 2.000 metros quadrados e terá 39 leitos no total, sendo 35 leitos de enfermaria e mais quatro de tratamento semi-intensivo, que serão preenchidos unicamente pela Central de Regulação de Vagas, por isso, não terá pronto atendimento direto à população, pois o principal objetivo é desafogar os hospitais que fazem esse primeiro atendimento aos pacientes.



Além dos quartos de enfermarias, haverá estrutura para suporte laboratorial, treinamento de equipes multiprofissionais, refeitório e áreas de descanso para as equipes de atendimento, entre outras edificações.

O Hospital Amaral Carvalho conta com a ajuda da população, de empresários e dos governos para colocar toda a sua expertise na área médica de excelência à disposição dos pacientes de Jaú e toda região com essa nova estrutura de atendimento. Todos os recursos arrecadados para essa nova unidade terão prestação de contas por meio de um site na internet, onde serão publicados os recursos recebidos e onde foram investidos.

“Decidimos aumentar nossa contribuição nessa luta contra a pandemia porque o Amaral Carvalho sempre foi fiel à sua história, fiel aos seus ideais, de sempre estar ajudando e resolvendo com a comunidade os problemas que afligem a sociedade. Por isso, tomamos a iniciativa de convidar a todos a nos ajudar na construção dessa unidade. Reafirmamos o nosso compromisso de transparência total na gestão dos recursos arrecadados para esse projeto, pois temos a certeza que só assim teremos sucesso nesse grande desafio, que é de todos nós”, disse o diretor-superintendente do Hospital Amaral Carvalho, Antonio Luis Cesarino de Moraes Navarro.

DA ASSESSORIA