Torquato Neto: todas as horas do fim | Bate-papo de Cinema Pontos MIS

TV AVARÉ



O programa, que traz uma sessão de cinema online seguida por bate-papo ao vivo, apresenta, em parceria com a Vitrine Filmes, o documentário Torquato Neto: todas as horas do fim (dir. Marcus Fernando e Eduardo Ades, documentário, 87 min, 2018, 12 anos), sobre um dos pensadores e letristas mais ativos da Tropicália e figura proeminente da arte marginal junto a Waly Salomão, Ivan Cardoso e Hélio Oiticica. O bate-papo conta com as presenças de Eduardo Bordinhon (artista, pesquisador e membro do Grupo de Estudos sobre o Ator no Audiovisual da Unicamp) e Giuliana Monteiro (roteirista, diretora e mestre pela Universidade de Nova York).

  • Sobre o filme Torquato Neto: todas as horas do fim (dir. Marcus Fernando e Eduardo Ades, documentário, 87 min, 2018, 12 anos)

Eduardo Bordinhon é artista e professor, trabalha com teatro – estéticas contemporâneas e intervenções urbanas ou site specific – e audiovisual – sobretudo com processos analógicos, com os quais investiga relações de tempo, memória e trabalho. É doutorando em Multimeios e mestre em Artes da Cena pela Unicamp, onde é membro do grupo de estudos sobre o Ator no Audiovisual pesquisando, além de interpretação e direção, estéticas do ator no cinema.
Torquato Neto (1944-1972) vivia apaixonadamente as rupturas. Atuando em múltiplas frentes – no cinema, na música, no jornalismo –, o poeta piauiense engajou-se ativamente na revolução que mudou os rumos da cultura brasileira nos anos 1960 e 70. Foi um dos pensadores e letristas mais ativos da Tropicália, parceiro de Gilberto Gil, Caetano Veloso e Jards Macalé. Junto à arte marginal, radicalizou sua atuação e crítica cultural, com Waly Salomão, Ivan Cardoso e Hélio Oiticica. Por fim, rompeu com sua própria vida, suicidando-se no dia de seu aniversário de 28 anos.
  • Sobre os participantes

Giuliana Monteiro é roteirista e diretora nascida em São Paulo. Formada em Multimeios pela PUC-SP, trabalhou como produtora durante oito anos antes de dirigir seus primeiros projetos. Em 2011, mudou-se para Nova York com uma bolsa de estudos para cursar o mestrado em roteiro e direção de filmes na Universidade de Nova York (NYU, Tisch School of the Arts). Dirigiu e roteirizou seis projetos de curta-metragem nos últimos três anos – os curtas Raízes (experimental),
Margarete 6422 (documentário), Stay (ficção), Felicidade (ficção) e Eu não digo adeus, digo até logo (ficção) – partindo de uma linguagem mais documental para ficção.
A campanha #MISemCASA traz conteúdos em diferentes formatos em todas as plataformas digitais do MIS. A ação acontece em conjunto com o #Culturaemcasa, desenvolvido pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa, por conta da orientação do Centro de Contingência do Covid-19 – que determinou que os equipamentos culturais do Governo do Estado de São Paulo tenham seu funcionamento suspenso temporariamente. Conheça a ação
O MIS agradece aos patrocinadores, apoiadores e patronos da programação, que também apoiam a iniciativa digital #MISemCASA: Youse (patrocínio máster), Kapitalo Investimentos (patrocínio), Cielo (patrocínio), TozziniFreire Advogados (apoio institucional), Bain & Company (apoio institucional) e Itaú (patrono).