População de Avaré valoriza a beleza de sua Árvore Símbolo

JORNAL DO GUMA
Da Redação

Todo final de inverno e começo de primavera em Avaré é marcado pelo show à parte dado pelos ipês. As árvores ficam floridas e colorem a cidade, chamando a atenção de todos.  Vendo a beleza desta árvore e seu interesse pelos moradores e visitantes da cidade, o então prefeito Joselyr Benedito Silvestre declarou no artigo 5° da Lei n. 1.009, de 09 de novembro de 2007, o IPÊ (Tabebuia sp) em suas diversas espécies, branco, rosa, amarelo... como Árvore Símbolo de AVARÉ.
Nestes últimos dias centenas de fotos de ipês plantados em várias partes da cidade confirmam o carinho e apreço  da população pela seu símbolo, um das boas heranças do governo Joselyr.



Sobre o Ipê
Nome cientifico: Tabebuia sp.
Características: árvore de 6 a 14 metros de altura, com tronco tortuoso de 30 a 40 cm de diâmetro. Folhas compostas folioladas, com folíolos cobertos por pelos, principalmente na face inferior que é mais clara. A madeira é muito pesada, muito dura ao corte, apresentando resistência mecânica e boa durabilidade.
Onde ocorre: Mato Grosso do sul, Goiás, São Paulo, Minas Gerais e Paraná, ocorrendo no cerrado e na floresta latifoliada semidecídua da bacia do Paraná.
Utilidade: A madeira é própria para usos externos, como postes, dormentes, cruzetas e para acabamentos internos de construção civil. É muito útil em plantios em áreas degradadas de preservação permanente.



Paisagismo: a árvore tem um florescimento exuberante, que estimula o seu emprego no paisagismo. Infelizmente a sua utilização na arborização urbana é escassa. 
Solo: característica do cerrado situado em terrenos bem drenados.
Informações ambientais: árvore decídua, ou seja, perde suas folhas em determina época do ano. Cresce e se reproduz sob total exposição ao sol em ambientes secos.  Apresenta dispersão uniforme e bastante frequente. Ocorre nas formações secundárias, isto é, floresta que se forma espontaneamente após destruição da floresta natural.
Floração e frutificação: floresce a partir do final do mês de julho, prolongando-se até setembro com a árvore totalmente desprovida de folhas A maturação dos frutos ocorre a partir do final de setembro até meados de outubro.
Época para a colheita de sementes: produz anualmente grande quantidade de sementes por ano, geralmente em setembro e outubro.
Obtenção de sementes: Colher os frutos diretamente da árvore quando iniciarem a abertura natural. Em seguida colocá-los ao sol para completarem a abertura e liberação das sementes.
Produção de mudas: as sementes devem ser colocadas para germinar logo que colhidas, em canteiros ou em recipientes individuais contendo substrato organo-arenoso. A emergência ocorre em 10 e 15 dias, a taxa de germinação geralmente é superior a 80%. O desenvolvimento das mudas é rápido, ficando pronta para o plantio no local definitivo em menos de 5 meses.
Também é conhecida como: ipê-cascudo, ipê-do-campo, ipê-pardo, piúva e ipê-do-cerrado.

FOTOS DE REDES SOCIAIS