Gripe deixa São Paulo em alerta para os próximos dias

JORNAL DO GUMA

Do Catraca Livre

As unidades de saúde da cidade de São Paulo tem notado um aumento significativo de pessoas com síndrome gripal. De acordo com o coordenador da Covisa (Coordenadoria de Vigilância em Saúde), Luiz Artur Vieira Caldeira, embora ainda não dê para ligar a situação à epidemia de gripe no Rio, os casos colocam a capital paulista “em alerta para o que pode acontecer nos próximos dias”.

 de saocarlosagora

“A certeza hoje é o aumento dos casos de vírus respiratórios não relacionados com a covid-19. Isso preocupa, acende a luz de alerta. As pessoas têm que redobrar os cuidados pessoais: uso de máscara, higiene das mãos, evitar aglomeração”, afirmou Caldeira à CNN.

Ainda segundo Caldeira, os casos de infecções por vírus respiratórios de outros vírus estão subindo de maneira lenta desde agosto na capital paulista, mas em dezembro praticamente dobrou a busca de pessoas com sintomas respiratórios nas unidades de saúde, urgência e emergências. A maioria com teste negativo para covid-19.

Os casos de gripe ainda não superam os de covid-19 na cidade, mas especialistas apontam que a tendência é a situação poderá inverter, assim como a situação atual no Rio de Janeiro.

Sem proteção vacinal

A curva acentuada de casos de síndrome gripal, em parte, tem sido causado pelo vírus H3N2, que está em circulação na cidade, e que escapa à vacina que é aplicada há seis meses.

O vírus que causa esse subtipo de influenza não é novo, mas começou a circular com mais intensidade no hemisfério norte nos últimos meses.

A gripe tem uma letalidade menor que a covid-19, embora idosos, gestantes e indivíduos com comorbidades tenham mais chances de evoluir para quadros graves.

Muitas pessoas que se tiveram gripe este ano relataram sintomas intensos, como febre alta e indisposição.

Veja também: Tonico Pereira diz que quase morreu com influenza A

Veja também: Com surto de gripe, São Paulo testará para covid todos com sintomas