FAMPOP 2017

FAMPOP 2017
Espaço cedido para Cultura de Avaré

sexta-feira, 7 de março de 2014

JORNAL DA CIDADE - Meio Ambiente

PARANAPANEMA JÁ RECEBEU 
700 MIL CURIMBATÁS EM 2014
Número foi totalizado com as solturas promovidas pela Duke Energy nesta semana, em reservatórios de hidrelétricas



Com o objetivo de reforçar a população de curimbatás no Paranapanema, a Duke Energy soltou 400 mil peixes jovens dessa espécie em reservatórios de hidrelétricas sob sua concessão nas duas últimas semanas. Taquaruçu recebeu dois lotes de 100 mil cada, nos dias 28 de fevereiro e 7 de março. Também os lagos das usinas Chavantes e Canoas I foram contemplados com 100 mil curimbatás cada, com solturas nos dias 27 de fevereiro e 6 de março, respectivamente.
Somados aos 300 mil curimbatás utilizados em ações anteriores –  realizadas em fevereiro nos reservatórios de Rosana, Capivara, Canoas II e Jurumirim – o Paranapanema já recebeu neste ano 700 mil peixes dessa espécie, considerada importante para a pesca esportiva e profissional. Além disso, em fevereiro a Duke Energy colocou 100 mil, pacus outra espécie muito valorizada pelas comunidades ribeirinhas, no reservatório de Rosana.

“Estamos caminhando para 1,5 milhão de peixes, que é nossa meta anual”, comenta o biólogo coordenador de Meio Ambiente da Duke Energy, Norberto Vianna. Além das solturas nos reservatórios dos oito hidrelétricas do Paranapanema sob sua concessão, a companhia realiza ações também nos rios tributários, visando à preservação da biodiversidade e recuperação do estoque pesqueiro da Bacia do Paranapanema. 

As espécies trabalhadas, o número de exemplares e os locais de soltura decorrem dos estudos das populações de peixes feitos pela Duke Energy no Paranapanema, de acordo com Vianna. Além de curimbatá e pacu, a empresa vem utilizando em seu programa para repovoamento do Paranapanema e seus afluentes piracanjubas, piaparas, dourados e piava-três-pintas. “São espécies que têm melhores condições de aproveitar os recursos alimentares e são importantes para a economia e cultura dos moradores da região”, explica o biólogo.



Desde que o programa para recuperação do estoque pesqueiro do Paranapanema foi iniciado, em 1999, a Duke Energy já soltou, ao longo do rio e em seus afluentes, mais de 20 milhões de peixes produzidos na Estação de Hidrobiologia e Aquicultura operada pela empresa, que fica em Salto Grande (SP).