Pfizer confirma que sua pílula contra a COVID-19 reduziu em quase 90% as hospitalizações e mortes

JORNAL DO GUMA

DO Estado de Minas

A empresa farmacêutica americana Pfizer disse ontem que ensaios clínicos confirmaram que sua pílula contra a COVID-19 reduziu em quase 90% as hospitalizações e mortes entre as pessoas de risco, quando tomada nos primeiros dias após a manifestação dos sintomas. O anúncio foi feito no mesmo momento em que um estudo na África do Sul mostrou que duas doses da vacina Pfizer-BioNTech protegem 70% contra os casos graves da variante Ômicron, um resultado considerado favorável pelos pesquisadores, embora seja uma taxa menor que a de outras cepas.

© Pfzier/AFP O Paxlovid reduziu mortes entre pessoas de risco, aponta o estudo

Os resultados da nova pílula, que ainda não foi aprovada em nenhum país, se baseiam em um estudo com mais de 2.200 pessoas e confirmam o que foi anunciado no início de novembro a partir de conclusões preliminares. A Pfizer também anunciou que seu tratamento antiviral, que será comercializado como Paxlovid, resistiu à variante Ômicron em testes de laboratório.

O ensaio mostrou que a pílula reduz a necessidade de hospitalização em adultos de alto risco com COVID-19 em 89% se o tratamento for feito nos três dias seguintes à manifestação dos sintomas e em 88% nos primeiros cinco dias, disse a empresa.

Publicidade
x

No total, houve 12 mortes no grupo placebo – que não recebeu o tratamento -– e nenhuma no grupo que recebeu. Efeitos colaterais foram detectados em porcentagens semelhantes no grupo que recebeu o tratamento e no que tomou o placebo (23% e 24%, respectivamente) e foram majoritariamente leves.

 O Paxlovid é uma combinação de duas drogas – Nirmatrelvir, um medicamento experimental, e Ritonavir, um antiviral que já existe e é usado contra o HIV. O tratamento consiste em ingerir 30 pílulas em um período de cinco dias.

 As notícias chegam em um momento em que a variante Ômicron continua se espalhando rapidamente pelo mundo, despertando preocupações sobre o possível aumento de casos graves e mortes.