terça-feira, 4 de dezembro de 2012

JORNAL DA CIDADE

COMUNIDADE

 Entrega do Prêmio Mário Gomes Timóteo ocorreu dia 30


Idealizado pelo Conselho de Participação da Comunidade Negra de Avaré e pela União Negra Avareense (UNA), o 1º Prêmio Mário Gomes Timóteo aconteceu com sucesso na noite de sexta-feira, 30/11, na Câmara Municipal. O evento encerrou as comemorações da semana de 20 de novembro, Dia Nacional da Consciência Negra, período em que se celebra a memória de Zumbi dos Palmares, o maior ícone da luta pela liberdade e independência dos escravos negros no Brasil.
O Prêmio Mário Gomes Timóteo, em homenagem a um grande personagem que viveu no século passado em Avaré e muito contribuiu para o desenvolvimento da cidade, como a construção das igrejas São Benedito e São Pedro, na condição de doador dos terrenos, e ainda na implantação da primeira escola emergencial da cidade, recebeu esse nome depois de consenso entre os conselheiros da UNA e do Conselho Municipal.
 Nesta primeira edição do prêmio foram quatro os indicados para receberem a placa, todos professores: Alex Pereira Alves, José Leandro Franzolin, Maria Helena Nazário dos Santos e Silvia Maria de Paula Carvalho, a Tuiú.
A Mesa Principal esteve presidida por Conceição Aparecida Domingos Vercesi, que representou o presidente do Conselho Estadual de Participação e Desenvolvimento da Comunidade Negra do Estado de São Paulo, Marco Antonio Zito Alvarenga. Maria Aparecida Pereira, do Conselho Municipal e José Vasconcelos de Araujo, o Salim, presidente da UNA, completaram a Mesa Principal.
Nas cadeiras centrais dispostas no Plenário, além dos homenageados e seus familiares, conselheiros e demais autoridades, sentaram-se o filho do homenageado, Benedito Timóteo e sua esposa, Neusa. 
Após a execução do Hino Nacional e das saudações feitas pela conselheira Conceição e pelo presidente da UNA, Salim, a cantora Cris Tainá, filha do saudoso sambista e carnavalesco Dito Peixe, apresentou duas canções ao público presente, num dos momentos marcantes da solenidade.
A entrega das placas também ocorreu num clima de muita descontração, com amigos e familiares do homenageado fazendo uso da tribuna para contar fatos curiosos de cada um.
O presidente da UNA, Salim, também foi homenageado de surpresa ao longo da cerimônia.
A solenidade teve no encerramento a execução do Hino à Negritude, com letra e música do professor Eduardo de Oliveira, e um coquetel foi servido aos presentes em seguida. Fonte Assessoria.
 JORNAL DA CIDADE - EDIÇÕES DIÁRIAS AS 10:45 HORAS OUÇA AQUI