OPERAÇÃO "CORTA FOGO" ORIENTA RISCOS DE QUEIMADAS ÀS MARGENS DAS RODOVIAS

60% dos focos de incêndio acontecem entre os meses de junho e setembro

Levantamento realizado pela CCR SPVias, CCR AutoBAn, CCR ViaOeste e CCR RodoAnel aponta que o período entre os meses de junho a setembro é o mais crítico para a incidência de queimadas. Concessionárias iniciam nesta semana a Operação Corta Fogo, coordenada pela ARTESP com objetivo de orientar sobre os riscos de queimadas às margens das rodovias




Os meses de junho, julho, agosto e setembro de 2019 concentraram 60% das ocorrências de focos de incêndio às margens das rodovias do ano passado, segundo levantamento em mais de 1 mil quilômetros de vias administradas pelas CCR SPVias, CCR AutoBAn, CCR ViaOeste e CCR RodoAnel, responsáveis pelas principais rodovias do sudoeste paulista e pelos sistemas Anhanguera-Bandeirantes, Castello-Raposo e trecho Oeste do Rodoanel Mário Covas. Neste período, as equipes das concessionárias atuaram em 1.504 focos de incêndio.

Por isso, as empresas que integram o Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo iniciam o apoio à Operação Corta Fogo, coordenada pela Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA) e direcionada pela ARTESP (Agência Reguladora de Transportes do Estado de São Paulo) nas rodovias paulistas.

Durante a operação, as concessionárias ampliam as ações de prevenção, a partir do reforço no monitoramento das rodovias, do posicionamento de caminhões-pipa em pontos estratégicos e veiculação de mensagens nos painéis eletrônicos instalados ao longo dos trechos rodoviários. Além disso, todas as viaturas de atendimento - inspeção, guinchos leves, pesados e resgate – possuem abafadores. Os profissionais que atuam nestes veículos são treinados e capazes de atuar no primeiro combate aos focos de incêndio. No caso de ocorrências de grande porte, as concessionárias sempre contam com a orientação e o apoio do Corpo de Bombeiros do Estado de São Paulo.

Entre os fatores que podem contribuir para incidência de queimadas, estão condições climáticas, característica da vegetação lindeira, proximidade de trechos urbanos, e principalmente, a ação humana. Por este motivo, as concessionárias alertam que as bitucas de cigarros arremessadas pelas janelas dos veículos são uma das principais causas de queimadas, pois elas podem incendiar a vegetação seca.  Utilização de fogo para limpeza de terrenos, queima de lixo, fogueiras, queimadas para fins agrícolas não autorizadas e a queda de balões também podem contribuir para o surgimento de focos de incêndio nas margens de rodovias. Além do problema ambiental, a propagação do fogo representa risco à segurança dos motoristas, pois a fumaça reduz a visibilidade.

Além da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente (SIMA), a Operação Corta Fogo envolve diversos órgãos estaduais, tais como o Corpo de Bombeiros, a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (CEPDEC), a Polícia Militar Ambiental (PAmb), a Companhia Ambiental do Estado de São Paulo (CETESB), a Fundação Florestal (FF) e o Instituto Florestal (IF). 
Rodovias do sudoeste paulista
Nas principais rodovias do sudoeste paulista, administradas pela CCR SPVias, o período entre os meses de junho a setembro de 2019 registrou 225 ocorrências de focos de incêndio, o equivalente aproximadamente 55% do total de ocorrências do ano passado (janeiro a dezembro).

Sistema Anhanguera-Bandeirantes
No Sistema Anhanguera-Bandeirantes, o período entre os meses de junho a setembro de 2019 registrou 868 ocorrências de focos de incêndio, o equivalente aproximadamente 63% do total de ocorrências do ano passado (janeiro a dezembro).

Sistema Castello-Raposo
No Sistema Castello-Raposo, o período entre os meses de junho a setembro de 2019 registrou 289 ocorrências de focos de incêndio, o equivalente aproximadamente 60% do total de ocorrências do ano passado (janeiro a dezembro).

Trecho Oeste do Rodoanel
No trecho oeste do Rodoanel Mário Covas (SP-21), o período entre os meses de junho a setembro de 2019 registrou 122 ocorrências de focos de incêndio, o equivalente aproximadamente 53% do total de ocorrências do ano passado (janeiro a dezembro).

Orientações de segurança
Em caso de fumaça na pista:
- Reduza a velocidade
- Não pare o veículo na faixa de rolamento, pare em local seguro.
- Feche os vidros do veículo
- Mantenha distância segura do veículo à frente e o farol baixo aceso
-  Não ligue o pisca-alerta com o veículo em movimento
- Posicione o sistema de ventilação do veículo na posição recircular

Para solicitar apoio ou reportar ocorrências:
CCR AutoBAn – 0800 055 5550
CCR SPVias – 0800 703 5030
CCR RodoAnel – 0800 773 6699
CCR ViaOeste – 0800 701 5555

Sobre a CCR SPVias: Há 20 anos a CCR SPVias opera uma das maiores malhas rodoviárias do Estado de São Paulo, com 516 quilômetros de rodovias que ligam os municípios de Tatuí, Espirito Santo do Turvo, Araçoiaba da Serra, Itapetininga, Avaré, Itaí, Capão Bonito e Itararé. Fazem parte do sistema as rodovias Castello Branco (km 129 ao 315), Raposo Tavares (km 115 ao 168) João Mellão (km 237 ao 288), Francisco Alves Negrão (km 222 ao 342), Antonio Romano Schincariol e Francisco da Silva Pontes (km 105 ao 213).

Sobre o Grupo CCR: Fundado em 1999, o Grupo CCR é uma das cinco maiores companhias de concessões de infraestrutura da América Latina, sendo considerada a líder do segmento de concessões no Brasil com 19% do controle das rodovias sob gestão da iniciativa privada. Tendo o pioneirismo e a inovação como marcas, a CCR criou em 2018 quatro núcleos de atuação independentes que agrupam unidades de negócios por temas afins. São eles: CCR Lam Vias, CCR Infra SP, CCR Aeroportos e CCR Mobilidade. As empresas são responsáveis por gerir os atuais negócios da companhia, além de desenvolver e pesquisar novas oportunidades no mercado primário e secundário, dentro e fora do Brasil. Foi o primeiro a ingressar no Novo Mercado da B3 (antiga BM&FBovespa) e conta com as mais rígidas práticas de governança corporativa desde a sua fundação, as quais estão reunidas no Programa de Integridade e Conformidade da Companhia. Presente, por meio de suas empresas, nos Estados Unidos, em Curaçao, no Equador e na Costa Rica, além do Brasil, a CCR conta com mais de 13 mil colaboradores e se orgulha em contribuir, diariamente, para uma sociedade com mais infraestrutura, segurança, conforto e qualidade de vida para milhões de cidadãos mundo afora.