OUÇA A RÁDIO GUMA CLIQUE ACIMA

Sesc oferece gratuitamente poemas e músicas da Semana de Arte Moderna

JORNAL DO GUMA

Do Canal do Ensino


Tendo como cenário o Theatro Municipal de São Paulo, a Semana de Arte Moderna de 1922 foi um dos maiores acontecimentos culturais do Brasil. A proposta de agitar os setores artísticos e chamar a atenção da sociedade da época não só foi bem-sucedida como se transformou no grande marco do movimento modernista brasileiro.

O evento está completando 100 anos de história e o Sesc Digital, em parceria com o Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) da Universidade de São Paulo (USP), disponibilizou, gratuitamente, um material inédito composto pelas diversas obras apresentadas na Semana de 22. Além de um livreto digital, o conteúdo pode ser aproveitado por meio de um box de 4 CD’s, com composições musicais, leituras de poemas e pequenos trechos de conferências.

Toda Semana: Música e Literatura na Semana de Arte Moderna

Fonte: Reprodução

Inovando a revisitação da Semana de Arte Moderna de 1922, ao reunir todas as produções apresentadas na exposição, o projeto Toda Semana: Música e Literatura na Semana de Arte Moderna foi organizado por Flávia Camargo ToniCamila Fresca Claudia Toni.

Com o objetivo de popularizar o acesso às obras da Semana de 22, as idealizadoras buscaram apoio do Serviço Social do Comércio (Sesc), que, por meio do Sesc Digital e o acervo do IEB, produziu 4 discos e um livreto on-lineNos CDs, é possível conferir a interpretação de todas as peças musicais que Heitor Villa-Lobos executou no evento e as leituras dos poemas recitados nele, como As Galeras, de Guilherme de Almeida, e Domingo, de Mário de Andrade.

Além disso, conta com trechos das conferências apresentadas durante os três dias de mostra. O primeiro disco, inclusive, inicia com A Emoção Estética na Arte Moderna, texto apresentado pelo romancista e ensaísta Graça Aranha. No livreto, por sua vez, é feito um registro de todo projeto, funcionando como material complementar, em que estão disponíveis os textos das conferências, o índice dos discos, as ilustrações das artes plásticas e muito mais. Para acessar o conteúdo completo, acesse aqui.

Semana de Arte Moderna

Mesmo um século depois de sua realização, a Semana de Arte Moderna de 1922 segue causando controvérsias e ganhando admiradores(as) e difamadores(as). Por um lado, a veem como grande propulsor do Modernismo no Brasil e, por outro, a definem como um evento sobrevalorizado. Independentemente das duas posições, é inegável que a Semana entrou para a história artística-cultural brasileira.

Inspirada na Semaine de Fêtes de Deauville (festival francês de música, moda e pintura), a exposição modernista aconteceu durante três dias e foi palco de muitas polêmicas. Entre elas, a participação indireta do poeta Mário de Andrade, já que foi a partir da leitura de um texto seu que Oswald de Andrade foi atacado com vaias, ofensas e tomates.

Organizado por grandes nomes da cena intelectual e artística do país, como Di Cavalcanti, Graça Aranha e Villa-Lobos, o evento tinha como intuito expor, em um único lugar, tudo de moderno que estava sendo produzido em São Paulo. Ainda, revolucionar os conceitos da arte daquele tempo e abrir espaço para a criação de uma identidade brasileira.

Nesse sentido, a Semana rompe com a estética parnasiana, que tinha como lema a arte pela arte e estruturas bastante rígidas de produção — como a constante busca pela perfeição e a enorme preocupação com a forma, a metrificação, etc. Ainda que não tenha sido o evento a inaugurar as manifestações modernistas em terras brasileiras, ele não só abriu caminho para novas expressões da arte e da cultura, mas também fez surgir novos(as) artistas.

IEB e Sesc Digital

O Instituto de Estudos Brasileiros da Universidade de São Paulo surge em 1962, com a função de preservar o patrimônio cultural não só do Estado de São Paulo como o de todo o Brasil. O complexo localizado na Cidade Universitária, no bairro do Butantã, conta com a biblioteca, o arquivo pessoal e a coleção de artes visuais.

Além disso, o IEB oferece disciplinas optativas interdisciplinares para alunos(as) de todos os cursos da Universidade e um programa de pós-graduação voltado para a área da cultura. Saiba mais sobre o Instituto, clique aqui.

Por sua vez, tratando-se de uma extensão do Sesc São Paulo, o Sesc Digital tem como propósito tornar os serviços oferecidos pelo espaço ainda mais inclusivos, levando arte, cultura e lazer para públicos maiores. No ambiente virtual do Sesc, é possível encontrar muitas atividades gratuitas, como exposições, palestras e cursos. Para conferir todo o conteúdo disponibilizado pelo portal, acesse aqui.

Que tal experimentar um dos maiores eventos da cultura brasileira? Compartilhe com os(as) amigos(as) e viaje no tempo com eles(as)!

No Canal do Ensino, leia também:

Postagem Anterior Próxima Postagem

INVISTA AQUI