OUÇA A RÁDIO GUMA CLIQUE ACIMA

Procedimento inédito no Brasil destrói câncer em pouco mais de 1 minuto

JORNAL DO GUMA

DO VivaBem

No final de março deste ano, em um hospital da cidade de São Paulo, ocorreu um procedimento inédito no Brasil. Um paciente de 68 anos de idade, que já havia superado um tumor no intestino e um infarto, foi diagnosticado com um novo câncer, dessa vez, no pulmão.



© Shutterstock Procedimento precisou apenas de anestesia local

O nódulo tinha, aproximadamente, 0,8 centímetros de diâmetro – semelhante ao tamanho de uma ervilha. Seria uma tarefa relativamente simples para um cirurgião retirá-lo em segurança, com um bisturi. No entanto, devido ao histórico cardíaco do paciente, uma anestesia geral – necessária para esse tipo de procedimento – seria muito arriscada.

A outra opção tradicional seria apelar para o tratamento com quimioterapia. No entanto, de acordo com a avaliação médica, esse procedimento não teria o poder de curar o câncer, mas apenas controlá-lo por algum tempo.

Foi então que os médicos resolveram realizar um processo de ablação para combater o tumor. Consiste, basicamente, em matar o câncer através de ondas elétricas. Porém, a solução, novamente, esbarrava na impossibilidade de aplicar uma anestesia geral no paciente. Afinal, esse procedimento precisa de, aproximadamente, 12 minutos para conseguir eliminar as células cancerígenas. E, convenhamos, ninguém aguentaria tanto tempo levando choque.

O desafio, nesse momento, era encontrar algum procedimento semelhante e que pudesse ser realizado de maneira mais rápida, apenas com uma anestesia local. Eis que surge a ideia de utilizar micro-ondas – semelhantes às do eletrodoméstico – para esquentar e destruir o tumor.

O paciente topou realizar o procedimento, que foi um sucesso. Após aplicar anestesia local na pele e na pleura – camada de tecido que reveste o pulmão – os médicos introduziram uma agulha longa, com uma antena de micro-ondas na ponta, na direção do tumor. A recomendação ao paciente era que, ao primeiro sinal de dor, ele avisasse os médicos, que interromperiam o procedimento imediatamente.

Demorou pouco mais de 1 minuto para que a dor aparecesse. No entanto, foi tempo suficiente para destruir o tumor e os tecidos ao redor, que poderiam ter alguma célula maligna. O paciente teve alta já no dia seguinte.

Agora, a ablação por micro-ondas, segundo os médicos que realizaram o procedimento, pode se tornar uma tendência para eliminar tumores pequenos em algumas regiões do corpo, sem a necessidade de anestesia geral. Algo que pode salvar a vida de pessoas diagnosticadas com câncer e que não tinham nenhuma perspectiva de cura.

Fonte: VivaBem


Postagem Anterior Próxima Postagem

INVISTA AQUI