segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Globo não renova contrato e autor de novelas começa a vender cachaça


Autor de várias tramas da Rede Globo, entre elas Como Uma Onda (2005), Desejo Proibido (2008), Araguaia (2011) e Flor do Caribe (2013), Walther Negrão não faz mais parte do time de novelistas da Rede Globo.
VER MAIS CLIQUE ABAIXO

O contrato do escritor terminou no mês passado e o canal e nem ele falaram sobre uma possível renovação.
O FUTURO
Walther voltou à escola e se formou mais uma vez. O autor, de 76 anos, aprendeu a fazer uma cachaça diferente. 
Com o diploma na mão e muito tempo disponível, Negrão agora se prepara para começar a industrializar a bebida. Vai usar as suas instalações em Avaré, São Paulo, para tal. O nome ainda não foi escolhido. 
O AUTOR
Com quatorze anos foi para São Paulo e estudou dramaturgia com as atrizes Célia Rodrigues e Vida Alves. Trabalhou como figurante e ator em algumas novelas da TV Tupi. Escreveu colunas no jornal Última Hora e na revista feminina Cláudia.
Como autor, estreou na televisão em 1958, ao escrever para o Grande Teatro Tupi, e adaptando textos radiofônicos para a Rede Record. Escreveu sua primeira telenovela em 1964, ao colaborar com Roberto Freire, na telenovela Renúncia, da Rede Record. Ainda, escreveu a telenovela Os Miseráveis, baseando-se no romance homônimo de Victor Hugo, esta que foi a primeira telenovela da Rede Bandeirantes. Em seguida, como colaborador de Geraldo Vietri, nas telenovelas Nino, o Italianinho e Antônio Maria, na extinta Rede Tupi.

Estreou na Rede Globo, como substituto de Hedy Maia em A Cabana do Pai Tomás, onde escreveu o final da novela. Em 1970, escreveu suas primeira telenovelas como titular, A Próxima Atração e O Primeiro Amor, exibidas às 19 horas, dois grande sucessos neste horário na época, esta última chegou a ter uma versão mexicana produzida pela Televisa, intitulada El Primer Amor. Em seguida, escreveu sua única novela em horário nobre, Cavalo de Aço, um grande fracasso, que sofreu com às interferência impostas pela Censura federal. Em seguida, escreveu a novela Supermanoela, outro grande fracasso, que acabou afastando o autor da emissora.
Depois, voltou para Rede Tupi, onde escreveu em parceria com Chico de Assis, as novelas, Ovelha Negra, Cinderela 77 e Xeque-Mate, e ainda, substituiu Sérgio Jockymann, no roteiro da novela Roda de Fogo. Na década de 1980, voltou para a Rede Globo, onde escreveu novelas de grandes sucessos, como Livre para Voar, Direito de Amar, Fera Radical, Top Model, Despedida de Solteiro, Tropicaliente e Era uma Vez....
Depois de escrever a minissérie A Casa das Sete Mulheres e o seriado Carga Pesada, voltou a escrever novelas, com Como uma Onda, Desejo Proibido, Araguaia e Flor do Caribe, todas exibidas no horário das 18 horas.