TV AVARÉ - ESPECIAL - "TREM" BARRA GRANDE/CERQUEIRA

  • CONHEÇA O "TREMQUEIRA"

2ª viagem experimental da "Tremqueira" pelos trilhos da Sorocabana. 
Sentido Barra Grande - Cerqueira César.


Grupo realiza passeios aos finais de semana, com saída da Barra Grande
Em tentativas com mais erros do que acertos, nosso "autolinha" esta andando no trecho entre Barra Grande e Cerqueira Cesar (SP), a próxima etapa é chegar em Manduri, mas há um grande assoreamento. Estamos limpando a via, os dormentes e fixação dos trilhos estão comprometidos, é claro que uma composição por mais leve que seja, "tombará" em poucos metros de marcha, não há mais estrutura. As invasões são absurdas e estão aumentando, é de responsabilidade de cada município a fiscalização e contenção desta ilegalidade. As construções, estações, depósitos, sub-estações de energia elétrica estão todas desativadas, invadidas, e em estado deplorável. É notório que não há possibilidade de tráfego por parte da concessionária. Não temos objetivos associativos, somos um "cinco moleques" com 60 anos vivendo as aventuras dos 16.

Um grupo de avareenses resolveu por em prática o sonho de viajar pelos trilhos da estrada de ferro Sorocabana. Para isso, bastava um trem para se locomoverem. E o fizeram. "Não tem apito, não tem vapor, não tem propósito econômico. Tem um gigantesco sentimento de preocupação com a falta de respeito e o abandono do principal meio de transporte que vestiu o Brasil de progresso, desde a década de 1889", destacou Kleber Silveira, um dos membros do grupo.

“O trem”, a ferrovia, a estrada de ferro

Entusiasmado, Kleber prossegue: "Um dia, um doidáço resolveu propor a construção de um trem para circular nos abandonados trilhos da Sorocabana, ferrovia que atendeu nossa região por 'trocentos' anos e se encontra às moscas há muito tempo. Tráfego nenhum, trilhos abandonados, dormentes podres, invasores obstruindo os trilhos como se fossem proprietários das terras da união. Lá vamos nós! Prancha feita em cima de chassis de viga C, assoalho de madeira, eixo de aço e tudo mais", conta.

Cinco amigos que se dedicaram a construir com o principal objetivo de explorar  a ferrovia, na incrível viagem de Avaré à Cerqueira César. Sem associações, nem grupos constituídos. Nada disso. Só curtir e preservar.

"Tudo começou com o Orestes, o Forlinão, o Claudio e por fim, eu: Kleber. Fui convidado a participar do grupo ainda na fase da montagem e execução do projeto. Como precisávamos de um bom cinegrafista arrastamos o Amauri. Assim formou-se o grupo que cada vez mais se apaixona pela ferrovia, o grupo do trem, o 'Tremqueira'", brinca Kleber com o nome do trem.

O grupo não tem a intenção de pedir dinheiro, ajuda de empresários e nem formar nenhuma associação para que fique alimentando o ego de ninguém.  O objetivo, que já sendo realizado com imenso prazer, é o de passear pela ferrovia, até onde for possível. Levando o maior número de pessoas que se manifestarem com vontade de passear no no trenzinho.

"Para conseguir chegar nessa condição passamos muitos fins de semana cortando árvores, tirando terra de cima dos trilhos, desobstruindo passagens de nível e cortando cercas de arame que impediam a circulação pela ferrovia. Saibam todos que esta é uma atividade muito prazerosa, que faz um bem danado para o corpo e a alma. E nós, essa molecada de idade média de sessenta anos, oferecemos passeios nos fins de semana pra quem quiser. Partimos de Barra Grande e vamos, por enquanto, dois quilômetros além de Cerqueira César passear nos trilhos da Sorocabana", finaliza.

FONTE DA FOTO: DIVULGAÇÃO: DE O VICTORIANO

Confira no vídeo um dos passeios realizados no "


Postar um comentário

INSTAGRAM

INSTAGRAM
Copyright © REDE GUMA. Designed