OUÇA A RÁDIO GUMA CLIQUE ACIMA

PREFEITURA DE AVARÉ DECRETA CALAMIDADE PÚBLICA NO MUNICÍPIO

JORNAL DO GUMA

De A Voz do Vale

A Prefeitura de Avaré, decretou, nesta terça-feira, dia 1º de fevereiro, estado de calamidade pública, pelas fortes chuvas que vem atingindo a cidade. (veja matéria abaixo)🔻

Em sua justificativa, o prefeito Jô Silvestre alega que “as fortes precipitações pluviométricas ocorridas no dia 1 de fevereiro de 2022 e em dias anteriores ocasionaram enxurradas e inundações bruscas, além de erosões em vias públicas, deslizamento de terra, desabamentos de muros, danos em esgotos sanitários, estradas rurais e destruição de pontes”.

Segundo o prefeito, “o temporal no dia de hoje foi o mais intenso, com duração de aproximadamente uma hora, registrando-se índices de precipitação pluviométrica que superaram mais de 100 mm (cem milímetros)” e que “diversos imóveis residenciais foram invadidos pelas águas, sendo que seus moradores devem ser cadastrados pela Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social, Habitação, Fundo Social de Solidariedade e Defesa Civil, assim como pela Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde, para as necessárias assistências a serem disponibilizadas pelo Poder Público Municipal”.

Com o decreto de estado de calamidade, o prefeito autoriza ações de respostas necessárias a minimizar os efeitos causados pelas chuvas, bem como que as secretarias Municipais de Planejamento e Obras, Transportes e Serviços, Assistência e Desenvolvimento Social, Habitação, Vigilância Sanitária da Secretaria Municipal de Saúde, Fundo Social de Solidariedade e Defesa Civil diretamente, responsáveis pelas ações de resposta, a usar de propriedade particular, no caso de iminente perigo público, assegurada ao proprietário indenização ulterior, se houver dano.

Também estão autorizados o início de processos de desapropriação, por utilidade pública, a requisição administrativa, servidão administrativa, ocupação temporária, dentre outras instituições administrativas que se julgarem necessárias, de propriedades particulares, para assegurar a contenção de enchentes nas áreas afetadas.

Ficam dispensados de licitação os contratos de aquisição de bens necessários às atividades de resposta à enchente, de prestação de serviços e de obras relacionadas com a reabilitação dos cenários causados pela chuva, desde que possam ser concluídas no prazo máximo de cento e oitenta dias consecutivos e ininterruptos.

________🔻

A forte chuva da terça-feira, dia 1º de fevereiro, gerou grande estragos em Avaré. Confira abaixo as fotos registradas por @sr.nushi que mostram os danos gerados no município.



Um homem conseguiu sair de um carro que estava sendo arrastado pela enxurrada. Um vídeo gravado por moradores mostra o momento em que o motorista saiu do veículo e caminhou com a água na cintura até se abrigar na cobertura de um posto de combustível, na esquina da Rua Distrito Federal com a Rua Maranhão.

As ruas centrais ficaram alagadas, sendo que vários veículos submersos. Na Rua Rio de Janeiro, um buraco se abriu e “engoliu” uma moto e outros objetos.

Já a Rua Alagoas ficou parecendo um rio e algumas casas chegaram a ser inundadas. Uma loja de automóveis que fica no local foi tomada pela água, que atingiu as motos à venda e as mesas dos funcionários. Na Rua Maranhão, vários carros ficaram submersos.

Segundo o Corpo de Bombeiros, equipes foram acionadas para atender as ocorrências e os moradores que tiveram casas invadidas pela água, mas não houve registro de feridos.

De acordo com a Defesa Civil, pelo menos sete ruas da área central ficaram alagadas: Rua Rio Grande do Sul, Rua Mato Grosso, Rua Pernambuco, Rua Maranhão, Rua Alagoas, Rua Major Rangel e Rua Rio de Janeiro.

Em casos de emergência, os moradores podem acionar o órgão pelo número 199.

INFORMAÇÕES "A VOZ DO VALE"




Postagem Anterior Próxima Postagem

INVISTA AQUI