Princesa das arábias ganha R$ 4,3 bilhões no divórcio com sheik de Dubai

JORNAL DO GUMA/REVISTA MULHER

Da IstoÉ


© Fornecido por Desejo Luxo Príncipe de Dubai e a Princesa Haya têm resultado sobre o divórcio, depois de anos no tribunal. Foto: Divulgação/ Princesshaya.net

Um divórcio de 554 milhões de libras esterlinas (cerca de R$ 4,3 bilhões). Essa é a quantia que a Corte Real de Justiça do Reino Unido determinou que o sheik Mohammed bin Rashid Al Maktoum pagasse à ex, a princesa Haya Bint al-Hussein, escondida do marido em algum lugar de Londres com os dois filhos do casal: Jalila, 14 anos, e Zayed, 9. Difícil “materializar” esses bilhões. Quantas paçoquinhas de um real, vendidas nos cruzamentos paulistanos nesta antevéspera de Natal, poderiam ser compradas? Se amontoadas, que tamanho essa duna doce teria, se levantada no deserto de Dubai?

© AFP AFP

Sabe-se que do bolso do sheik saíam uns trocos arredondados para a ex-esposa como R$ 100 mil com um pombal, outros R$ 300 mil com “outros pets” (seriam os tigres, leopardos e macacos para ornamentar os jardins do palácio?), mais R$ 14 milhões para um anexo na cozinha, com forno de pizza. A lista é até risível, para não dizer assustadora. Fora tudo isso, tem mais uns R$ 630 milhões/ano para “despesas familiares” – afinal, o que se compra no mercado com R$ 50 milhões/mês? Carros de luxo, iates, helicópteros e jatinhos… nem combustível entra nessa soma. Já estão devidamente à mão em suas garagens, marinas e hangares.

Um juiz bateu o martelo reconhecendo o “padrão de vida realmente opulento e sem precedentes” a partir desse divórcio recorde no Reino Unido, enquanto a princesa de 45 anos se encarrega de contratar seguranças, depois de ser “descoberto” um alegado caso dela com o guarda-costas, ainda em 2019, quando se iniciou o processo do divórcio. Isso porque Haya, que estudou filosofia, política e economia em Oxford, é filha do falecido rei Hussein da Jordânia e meia-irmã do rei Abdullah II, o atual governante.

Pelo julgamento se infere que os problemas no casamento se deram porque o marido perseguiu e ameaçou Haya. Casório na saúde e na doença, na riqueza e na pobreza? Sob intimidação e medo, princesa e plebeia, lá como cá, aprenderam a dizer não. Mas R$ 15 milhões para gastos com morangos a princesa também não precisava incluir na disputa….